O COAF ESPERA SERGIO MORO

Uma das obsessões de Bolsonaro, nas conversas sobre a estrutura policial que está sendo montada em torno de Sergio Moro, era o destino do Coaf.

O órgão controlador da movimentação de dinheiro será decisivo, segundo Bolsonaro, para estrangular o crime organizado, principalmente os traficantes.

Foi por isso que Bolsonaro tirou o Coaf do Ministério da Fazenda e o entregou de presente a Sergio Moro na Justiça. Com a Polícia Federal e o Coaf, o ex-juiz pode transformar algumas ações em grande teatro com manchetes no Jornal Nacional.

Há uma semana, Moro havia anunciado que o atual presidente do Coaf iria bailar, porque seu escolhido para o cargo era Roberto Leonel, auditor e chefe da área de inteligência da Receita Federal.

Pois logo depois os homens do Coaf decidiram dar um aviso a Moro. Anunciaram para a imprensa, antes da posse, que haviam flagrado a família. Mandaram um recado para o juiz e para seu chefe: não tentem brincar com a gente.

Sergio Moro tem uma tarefa dura. Se pegou os Bolsonaros, que pareciam intocáveis, o Coaf parece não estar sob o controle da direita. Moro conseguirá aparelhar o Coaf para que funcione nos moldes do seu QG seletivo de Curitiba?

Eu queria ouvir as gargalhadas dos caras que pegaram os Bolsonaros e advertiram Sergio Moro do que o espera no Coaf.

Aos poucos, ensaiando no seu cargo ‘técnico’, Moro se dá conta de que Brasília não é a panela de Curitiba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


4 + 9 =