O DISFARCE DO PROCESSO CONTRA WEINTRAUB

É uma bobagem o pedido de abertura de inquérito que a Procuradoria-Geral da República fez junto ao Supremo contra Abraham Weintraub. O Brasil precisa de processos contra os grandes crimes de Weintraub e Bolsonaro, e não contra as besteiras que cometem.

O ministro da Educação analfabeto é acusado de racismo por ter debochado dos chineses e insinuado que a China criou o coronavírus para espalhar o comunismo pelo mundo.

Não vai dar em nada. Todos os dias alguém do governo comete desatinos maiores. São mais do que desatinos, são delitos e crimes graves. São políticas públicas genocidas, segundo Gilmar Mendes.

Weintraub deveria ser enquadrado pela inépcia para ser ministro, por perseguir professores, pelo desmonte da universidade pública, por conspirar contra a pesquisa e por ofender a inteligência nacional e pôr o país em risco como analfabeto que ocupa o mais alto cargo da educação.

Mas não por sugerir que os chineses não sabem usar o ‘r’. Leiam o que ele escreveu no Twitter:

“Geopolíticamente [sic], quem podeLá saiL foLtalecido, em teLmos Lelativos, dessa cLise mundial? PodeLia seL o Cebolinha? Quem são os aliados no BLasil do plano infalível do Cebolinha paLa dominaL o mundo? SeLia o Cascão ou há mais amiguinhos?”

É infantil, é de alguém com idade mental inferior a cinco anos. É vexatório para o Brasil. É diplomaticamente indecoroso e ofensivo e a prova da nossa incompetência para conter o bolsonarismo. É a grosseria de um idiota, mas não é um delito.

Weintraub pode ser processado por usar o Cebolinha como personagem de uma bobagem discriminatória? Por acusar a China de querer dominar o mundo?

A própria PGR já arquivou um pedido de impeachment contra Weintraub por incompetência e atitudes delituosas como gestor. O analfabeto já acusou estudantes de universidades federais de produzirem drogas e plantarem maconha dentro das áreas das instituições.

A acusação de racismo é um despiste. É praga no Brasil a banalização do processo por algum dano moral que só favorece a direita. Raramente alguém da esquerda vence uma ação contra fascistas. As punições contra racistas são brandas. Negro não ganha ações contra brancos (sim, há exceções, mas não vamos raciocinar por exceções).

No Rio Grande do Sul, um professor foi processado há pouco e terá de indenizar um jornalista porque o chamou de idiota. Se os jornalistas fossem processar todos os que os acusam de idiotas, essa seria uma profissão de milionários.

Eu estaria vivendo de renda das minhas aplicações na XP. Um jornalista tem de ser muito idiota para processar quem o define como idiota.

É preciso enquadrar Bolsonaro, Weintraub, Araujo, Salles e outros por crimes contra o país. Mas a mesma PGR que faz o teatro do processo contra Weintraub não permite que seus procuradores enquadrem Bolsonaro pela suspeita – levantada até por Gilmar Mendes – de que o sujeito adota uma política genocida na saúde pública.

Augusto Aras blindou Bolsonaro. É uma acusação dos próprios procuradores. O chefe do Ministério Público impede o trabalho do Ministério Público.

Por isso nas não vamos embarcar nessa história do racismo contra chineses por causa da piada idiota (ele pode me processar?) de um ministro analfabeto.

Esse processo é um disfarce para a inoperância da PGR. Desvia as atenções dos crimes que o bolsonarismo comete e que o procurador-geral da República não deixa investigar.

Weintraub vai ganhar e sair por cima e ainda vai debochar do MP que protege seu chefe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


7 + 1 =