O ‘ESQUERDISTA’ LULA E OS FASCISTAS E EXTREMISTAS

Os dois discursos de Lula no Congresso e no Planalto tiveram forte pegada de esquerda, não só por destacarem a importância de um Estado protagonista e as prioridades à área social diante da pressão por contenção fiscal.

Os recados ao mercado indiferente à fome não significam nenhuma novidade.

Foram discursos de repulsa às atitudes e à herança do derrotado e seus significados.

As palavras fascismo, extremistas e extremismo autoritário apareceram nos dois discursos.

Fascismo e extremismo autoritário são ditas no discurso no Congresso. A palavra extremistas aparece no discurso no parlatório do Palácio do Planalto.

Analistas de direita também destacaram que, ao falar da falta de recursos para o SUS, Lula atacou de novo o teto de gastos, que Bolsonaro nunca obedeceu, mas que o mercado exige que Lula respeite.

A crítica de Lula vem desde a campanha, mas desta vez ele se referiu ao limite imposto para custeios e investimentos em áreas essenciais como “uma estupidez chamada teto de gastos, que haveremos de revogar”.

Também há queixas contra a afirmação de Lula de que Bolsonaro e todos os que cometeram crimes terão de se entender com a Justiça.

Cada um ouviu o discurso que desejava ouvir.

Míriam Leitão no Globo:
“Discurso de Lula ressalta democracia e inclusão e nega revanchismo”

Igor Gielow na Folha:
“Lula propõe união nacional e sugere caça às bruxas”

As bruxas seriam os fascistas, para os quais, segundo o que o povo gritava em jogral na Praça dos Três Poderes, não deve haver anistia.

O jornalismo do mercado sabe que o Lula ‘esquerdista’ da posse foi o mesmo esquerdista da diplomação. Todos os três discursos tiveram forte componente político.

A direita achou que deveriam ser menos incisivos como denúncia da destruição não só do Estado, mas das relações humanas nos quatro anos de governo.

Na diplomação, a palavra extremista aparece sete vezes. Mas não no discurso de Lula, mas do ministro Alexandre de Moraes.

O fascista não gosta de ser chamado de fascista ou de extremista. Mas não há o que fazer com o ‘esquerdismo’ de Moraes.

O esquerdismo de Lula, apontado pela direita que fala em nome do mercado, deve ser grafado entre aspas, assim como o esquerdismo do ministro do STF.

O fascismo deles, não.

__________________________________________________________________

VOLTEM PARA CASA
Agora, é tarefa das famílias o resgate de parentes que insistirem em ficar acampados.

Os familiares precisam reorientar os seus no sentido de buscar o que fazer, porque nem Hamilton Mourão apoiou o golpe.

Se os acampados continuarem, o sistema de Justiça terá de agir, mesmo que até hoje tenha se mantido recolhido.

Ou os patriotas saem numa boa, ou terão de ser retirados. O Ministério Público precisa ser obediente ao que o povo determinou.

Lula foi eleito e empossado. Agora, chega.

4 thoughts on “O ‘ESQUERDISTA’ LULA E OS FASCISTAS E EXTREMISTAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


9 + 7 =