O jaburu-da-mala vai escapar?

Um procurador facilita a vida de um futuro delator, quando do encaminhamento do acordo que iria resultar na denúncia contra o jaburu.  Já sob suspeita do Ministério Público, deixa a função pública e, antes mesmo da delação, decide trabalhar como advogado do mafioso.

É grave o que aconteceu entre o ex-procurador Marcelo Miller e Joesley Batista. Mas é o suficiente para livrar a cara do jaburu-da-mala?

Vamos rememorar o que aconteceu. Feito o acordo, o delator entrega a gravação de uma conversa sua com o jaburu em que este pede que mantenha Eduardo Cunha calado. O delator ganha o benefício da delação e não é preso.

Também ficamos sabendo, por um vídeo, como uma mula a serviço do jaburu, o ex-deputado e seu assessor especial Rocha Loures, pega uma mala com R$ 500 mil de propina.

E o delator disso tudo fica livre. Esse benefício sempre foi questionado por juristas e gente do Ministério Público e da Justiça.

Um delator envolvido em rolo de bilhões, que denuncia o sujeito que está no poder (e mandou uma mula pegar a mala de Joesley), beneficia-se de um acordo que o deixa livre para viajar a Nova York e continuar solto para sempre.

Mas agora vem a grande questão: o que o país ganhará com a destruição do que foi delatado só porque um procurador facilitou a vida de Joesley, na preparação da delação e certamente de seus benefícios, e depois virou seu empregado?

O procurador forjou provas? Ajudou a forjar? Traficou influência para que Joesley ficasse livre depois da delação?

Joesley forçou o jaburu a dizer que deveria ajudar Cunha com uma mesada em dinheiro para mantê-lo calado? Joesley forçou o jaburu a mandar Rocha Loures buscar a mala com a propina de R$ 500 mil?

O jaburu que liderou o golpe é um ingênuo submetido às armadilhas de Joesley? O ex-procurador ajudou a montar estas armadilhas?

Por favor. No que o fato grave da relação do procurador com o delator desqualifica o que foi denunciado contra o jaburu-da-mala? O problema é que agora os formalismos jurídicos entram em cena para favorecer de novo um dos chefes da direita e do golpe.

A controversa e suspeita (use a palavra que quiser) Justiça brasileira não conseguirá tratar o caso na sua gravidade específica. Joesley e o ex-procurador serão punidos e pronto? Não.

O procurador será acusado de ter influenciado o Ministério Público na concessão do benefício que deixou o delator livre, e tudo o que aconteceu até aqui pode também ser desmontado. O jaburu vai escapar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


3 + 9 =