O NOSSO PARENTE PRÉ-MILICIANO

O que significam as novas medidas de Bolsonaro liberando ainda mais a compra e a posse de armas?

Significam que aqueles nossos sobrinhos, primos, tios, cunhados e agregados que voltarão a participar dos churrascos de domingo, depois da pandemia, agora podem aparecer com revólveres.

Alguns poderão até ter metralhadoras no porta-luvas do carro.

Bolsonaro está incentivando o uso de armas e não só em casa. Dizer que a lei não permite o porte indiscriminado não significa nada.

O bolsonarismo vai armar suas bases ideológicas ou eventuais como se fossem milícias. E esses sujeitos não são os parentes, colegas e conhecidos dos outros.

São próximos de todos nós. Os autorizados a ter um arsenal em casa, inclusive de armamento militar, são das relações de todas as famílias.

Alguém terá um tio valentão com um ou vários revólveres em Itaqui, Sao Sepé, Candiota, Canguçu, Soledade, Farroupilha.

Poucos vão escapar de ter um parente reacionário armado. Aquele cara que antes era apenas um chato da direita pode ser agora um pré-miliciano.

Depois da pandemia, ele pode bater à porta de qualquer um de nós.

Nossos parentes serão outras pessoas depois dos distanciamentos forçados e às vésperas de mais uma eleição. Agora, bem armados.

3 thoughts on “O NOSSO PARENTE PRÉ-MILICIANO

  1. Não sou defensor do armamentismo, muito pelo contrário, mas Será que moradores e moradoras de favelas também vão poder comprar armas para se defender das invasões ilegais de suas casas, praticadas pelas forças de segurança? E os movimentos sociais urbanos e do campo também vão poder comprar armas?

      1. Flics….Quando vc fala em “pessoal da favela” parece esquecer que os que têm interesse e dinheiro para isso ,obvio, não são a maioria dos moradores.São os traficantes.Mas esses já têm as armas que querem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


9 + 9 =