O PRÊMIO

Por que há um sentimento de alegria compartilhada com o pessoal do PT que ganhou a mega-sena? Por que todos os dias vamos dormir e todos os dias acordamos sem notícias que nos surpreendam com alguma coisa boa.

Todos os dias ficamos sabendo que Sergio Moro está fraco, que o Intercept vazou mais mensagens escabrosas de Dallagnol, que Bolsonaro agrediu mais uma mulher de algum lugar do mundo, que o ministro da Educação cortou bolsas, que Queiroz continuará solto.

Mas mesmo as notícias que podem nos dar algum alento, como as que envolvem a desmoralização pública de Sergio Moro, não nos acalmam, porque são promessas incompletas. Moro fica fraco, mas resiste, e Dallagnol continua, com a maior cara de pau, pedindo combate à corrupção.

E vamos seguindo na nossa vidinha, sabendo que poucos reagem, que talvez Celso de Mello enquadre Moro, que talvez Dallagnol uma hora caia, que o TRF4 poderá ser desmascarado pelo Supremo mais adiante.

A notícia da mega-sena tem os componentes da sorte, do inesperado e do imponderável coletivo. É o compartilhamento de um prêmio entre 49 pessoas.

A mega petista aciona esses sentimentos de milagre, partilha e solidariedade e resgata um pouco do que a própria esquerda extraviou pelo caminho, a possibilidade de sonhar, de abstrair e de sermos menos esquemáticos.

Pela primeira vez, e isso só a esquerda pode fazer, um prêmio com uma cifra tão grandiosa é anunciado efusivamente por um grupo de ganhadores. Os vencedores não se esconderam, quem sabe porque queriam dizer que finalmente tinham uma notícia boa para repartir.

Esse prêmio tem outro efeito bom, para os ganhadores e para quem olha de longe, que é a exposição da infelicidade bolsonarista. A mega-sena do PT faz com que eles sejam ainda mais infelizes.

A mega, diria um leitor de Paulo Coelho, pode carregar junto um recado, para que as esquerdas, e não só o PT, saibam lidar melhor com a chance da surpresa em meio a tanto desalento.

E vamos desejar que a extrema direita sofra, sofra muito, sofra e manifeste esse sofrimento, sem entender direito como, num país em que tudo favorece o golpismo e o reacionarismo, um grupo de petistas ficou rico.

Esse prêmio é também um deboche com Sergio Moro e a Lava-Jato e bem que poderia ser um sinal de que outras coisas até agora improváveis poderão acontecer. Que aconteçam logo.

2 thoughts on “O PRÊMIO

  1. Diário do centro do mundo:
    Um título universal para um grupo bem corporativo, DEFENSORES DAS minorias corrompidas e que, ainda COM um lastro de poder remanescente de uns infiéis que está por aí, destilando o ódio de suas entranhas aos desavisados deste país continental. ÓDIO este que arde em suas consciências impuras e, agora SE apegam no que resta para justificar algo, como se fosse obra do divino para SALVAR-LHES a almas que por hora vão pagando os pecados.
    Tão insignificante fato parece ser um ALENTO para a eternidade. Espero que o inesperado transforme em um racha espetacular ENTRE todos os seguidores, por conta de quem vai ficar com a parte maior.

  2. Oi, quase um ano depois de vc publicar esse artigo, quero dizer que naquela época e hoje o relendo, vc nos deixou com a alma mais leve, nos deixou alegres por compartilhar nossa alegria naquela ocasião. Amei seu artigo e desculpe por, só agora, agradecer por sua publicação. obrigada demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 4 =