O TICTAC DE DORIA NÃO ESTÁ SÓ NO COLO DE BOLSONARO

Os bolsonaristas adotaram o tictac como o som ameaçador preferido da extrema direita este ano. No primeiro semestre, quando Bolsonaro, Sara Winter e alguns generais brincaram com a ideia do golpe, só o que se ouvia era tictac.

Bolsonaro sonhava em ser um presidente com amplos poderes, sob a proteção dos militares, e seus militantes civis anunciavam pelas redes sociais que os novos tempos estariam chegando.

Era tictac todos os dias, para qualquer bobagem contra Alexandre de Moraes ou Rodrigo Maia. Bolsonaro teria o controle do Supremo e do Congresso, e as esquerdas seriam dizimadas.

Toda insinuação sobre episódios que poderiam ampliar os poderes de Bolsonaro era precedida do tictac.

Mas Bolsonaro não conseguiu levar o blefe adiante, Sara Winter foi presa e os generais se aquietaram nas trincheiras do silêncio.

Agora, há outro tictac, desta vez nos ouvidos dos bolsonaristas. É o tictac da bomba-relógio que João Doria largou no colo de Bolsonaro. Uma bomba com a data de 25 de janeiro.

Doria repetiu no sábado que naquele dia, data de aniversário da cidade de São Paulo, estará iniciando a vacinação com a CoronaVac. O tictac perturba Bolsonaro e todos os que ele mobiliza para sabotar a vacinação.

A partir deste domingo, faltarão 43 dias para o início da imunização com a vacina chinesa. Cairá numa segunda-feira. Até lá, Bolsonaro terá de pensar num plano que desative a bomba.

O governo já fez duas tentativas. Anunciou que a Anvisa leva pelo menos 60 dias para aprovar uma vacina. E depois alertou aos governadores que Brasília deve centralizar o plano todo, ou seja, Doria não tem autonomia para decidir nada.

Mas é cada vez mais complicada a situação de Bolsonaro e do que a Folha definiu como o seu “círculo de patifes”.

Neste sábado à noite, 36 pesquisadores acusaram os tais patifes de usarem seus nomes para tentar validar um plano furado de vacinação, divulgado horas antes.

É a denúncia de mais um estelionato cometido pelos que agora têm pressa em dizer que existe um planejamento.

Os cientistas informaram que não validaram nada, não assinaram o documento e não sabem por que o governo usou seus nomes.

Todos nós sabemos. Bolsonaro está sob o som do tictac de Doria, e agora vale tudo, inclusive usar os nomes de profissionais respeitados para tentar salvar uma fraude.

O plano fajuto de vacinação de Bolsonaro foi feito para enganar o Supremo e os trouxas, entre as quais a Globo, que divulgou a farsa com pompa no Jornal Nacional.

Bolsonaro carrega o som do tictac por onde anda. Outros podem sair feridos. Porque a bomba-relógio de Doria está no colo de Bolsonaro e Bolsonaro está no colo de todos os militares, e não só de Eduardo Pazuello.

__________________________________________________________________

Jornalistas pela Democracia

One thought on “O TICTAC DE DORIA NÃO ESTÁ SÓ NO COLO DE BOLSONARO

  1. Por mais nobre e SolidÁria q seja a participação de importantes pesquisadore(a)s na crise humanitária que devasta o país, é importante se perguntar, depois de 9 meses de inúmeros exemplos negativos praticados pelo governo federal, com quais autoridades ele(a)s estão lidando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


8 + 1 =