Os juízes e os repórteres

Chico Marés, Euclides Lucas Garcia, Rogerio Waldrigues Galindo, Evandro Balmant e Guilherme Storck.

Estes são os cinco jornalistas da Gazeta do Povo, que se libertaram esta semana da crueldade provocada por 48 processos de juízes e promotores do Estado.

A ministra Rosa Weber, do Supremo, determinou que os processos sejam suspensos. É uma derrota para os juízes orquestraram uma reação coletiva, para que a vida dos jornalistas fosse transformada num inferno.

Pois o que os juízes queriam (esconder seus supersalários) é tudo que eles não terão. Juízes e promotores do Paraná recebem salários absurdos, mesmo na comparação com os demais colegas do país.

Os juízes pretendiam (acredite!!!) cobrar indenização dos jornalistas por injúria. Eles teriam sido expostos à condenação pública por causa dos vencimentos.

A Justiça – esse é o paradoxo – foi transformada em instrumento de inviabilização profissional dos jornalistas. A rotina dos cinco passou a ser a estrada, em viagens às comarcas de várias cidades.

Vale a pena ver aqui a reportagem que deu origem aos processos e expôs para o mundo (porque o caso virou notícia internacional) o vexame dos juízes.

www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/tj-e-mp-pagam-supersalarios-que-superam-em-20-o-teto-previsto-em-lei-8p4mx7sxjog1r9rivs1hlrig7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 5 =