Que Bob Dylan, que nada

A Academia deveria prestar mais atenção nos poemas do juiz Vallisney de Souza Oliveira, antes de dar o Nobel ao Bob Dylan.

Vallisney é da 10ª Vara Federal do Distrito Federal e na semana passada transformou Lula em réu, no terceiro processo contra o ex-presidente (por envolvimento com a Odebrecht).

Os poemas de Vallisney estão em seu site. Eis uma amostra:

 

Vendaval

Se o amor bate na saudade

e se a saudade rebate no amor,

é luta de fortes, nem guarda-peito,

nem para-raios, de nada adianta,

é vendaval que arranca postes,

é como estar na lua

no apagar das luzes,

é trancar-se sem tranca,

é dormir acordado, é sentir-se

um elefante leve na balança.

 

One thought on “Que Bob Dylan, que nada

  1. Para você que aí fica
    Vou te dar uma dica
    Além de sonso e vagabundo
    Sou Cineasta Diretor
    A MAMÃE é pamonha
    Me estimulou na maconha

    Deus não dá noz nem voz
    a quem não tem dentes
    Se você ainda não sabe
    Vivo de Festival de Tiradentes.
    P’ra garantir minhas mesadas

    Fixo nas mais caras pousadas
    Para divulgar meu Aquarius
    Sou capaz de roubar um Stradivarius
    Onde há dinheiro público
    Sou como o Mustela putorius
    Juro por tudo que é bíblico

    Mando essa antes que acabe:
    Vivo da Lei Rouanet
    Sou do PeTê
    Não vejo empecilho
    Sou Kleber Mendonça Filho.

    =====
    JL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 4 =