RODRIGO MAIA REAGE, QUATRO DIAS DEPOIS

Rodrigo Maia vai se consagrar como o Rubinho da política em tempos de pandemia. Quatro dias depois da nota em que o general Augusto Heleno ameaçou o país com “consequências imprevisíveis” (se o celular de Bolsonaro for apreendido), o presidente da Câmara decidiu reagir.

Disse em discurso emocionado hoje pela manhã que “o parlamento cumpre as decisões do STF mesmo quando discorda”.

Defendeu a democracia, solidarizou-se com as vítimas da pandemia, pregou o diálogo e apresentou-se mais uma vez como um mediador de conflitos.

E depois completou: “Tenho procurado ser prudente e observar as normas, o que não pode ser confundido com medo. É preciso coragem para construir a paz. A voz dessa casa de leis deve traduzir a voz do povo brasileiro”.

Quatro dias para pensar, na urgência em que vivemos, é muito tempo. E Maia não precisava ter acesso à tribuna da Câmara para dizer o que pensa. Era só se manifestar nas redes sociais, como sempre faz, ou chamar a imprensa, se assim preferisse.

O problema da lentidão de Rodrigo Maia tem outros complicadores. Estão na sua gaveta mais de 30 pedidos de impeachment de Bolsonaro. Ninguém sabe ao certo quantos são, porque agora entra um pedido por dia.

Mas o presidente da Câmara sentou em cima dos pedidos, porque ele é quem decide, com o argumento de que não são prioritários.

Já andaram espalhando até que Maia entende que um pedido de impeachment agora pode fortalecer Bolsonaro. Até pode. Mas não há um pedido de impeachment. São mais de 30.

O prioritário para Rodrigo Maia é levar quatro dias para fazer um discurso meia-boca em resposta à ameaça de golpe de um general de pijama, seguido por uma nota de apoio de outros generais de pijama que falam em risco de guerra civil.

Quem vai reclamar de pressa diante de tanta agilidade?

2 thoughts on “RODRIGO MAIA REAGE, QUATRO DIAS DEPOIS

  1. Rodrigo Maia está se movendo em areia movediça: o mandato acaba no final do ano e neste ninho de cobras ele pretende colocar um aliado como próximo presidente da câmara, até para se precaver de retaliações quando voltar à planície.

  2. São muito mais que 30 pedidos de impeachment. Mas fico me perguntanto: onde estão os dos membros do DCM? E do 247?

    Ou eles não sabem que a Lei 1.079/50 permite a qualquer cidadão comum que entre com pedido de impeachment contra o Presidente?

    Eu mesma fiz… essa pergunta em 2019 no youtube tanto a um canal como a outro e não obtive resposta.

    Se eles podem se dar ao luxo de pegar um avião até Brasília levando pedidos individuais de todos que conhecem, basta registrar em cartório, por que não fizeram ainda? Rsrs.

    Ângelo Arruda protocolou o seu e ele é apenas um arquiteto. Estranho o DCM e 247, e outros, jurarem por Deus que são contra esse governo, mas não usarem os dispositivos legais e NEM PEDIR isso aos seus seguidores. Hilário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


7 + 4 =