SAUDADE DOS CORONÉIS

Morreu Severino Cavalcanti. E Geddel Vieira Lima foi libertado.

Os dois parecem pertencer a um tempo tão distante que poderiam até ser anistiados, diante das atrocidades cometidas hoje pela extrema direita no poder.

Severino e Geddel eram do tempo em que a direita tinha coronéis, e os corruptos golpistas guardavam dinheiro em malas abertas perto das janelas para que as notas pegassem sol. E tudo isso é tão recente e tão antigo.

Para espairecer um pouco, eu chego a ter saudade daquela época dos coronéis do Norte e do Nordeste, que assumiam alguns compromissos inimagináveis hoje para os milicianos e os fascistas no poder.

Não temos mais coronéis, que pelo menos eram divertidos. Estamos entregues a um tenente e aos seus generais do Cerrado.

One thought on “SAUDADE DOS CORONÉIS

  1. Por acaso, O morto não esteve envolvido com crime de extorsão para renovar o contrato de um restaurante dentro do congresso? E o vivo NÃO é aquele envolvido com os mais de 50 milhões apreendidos em apartamento de um conhecido e também com a construção de um edifício de alto padrão em bairro tombado pelo Iphan em Salvador?

    Recentemente morreu Nelson Meurer, ex-deputado condenado pela lava-jato por crime de corrupção e que cumpria pena em regime fechado, no Paraná. Vale a pena ler a mensagem de condolências da prefeitura de Francisco Beltrão. Pelo teor, certamente terá alguma avenida e praça com seu nome. Algum vereador de lá poderia propor também a mudança do nome da cidade.

    De fato, este país tem o povo que merece.

Deixe uma resposta para André Cipoli Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


5 + 7 =