SKAF AO LADO DOS DEMOCRATAS CONTRA O GOLPE? É FRAUDE

É do roteiro de um filme de absurdos a situação policial e possivelmente judicial criada em torno da assinatura do ex-presidente da Fiesp Paulo Skaf no manifesto pela democracia.

Skaf registrou boletim de ocorrência ontem na polícia, porque não é signatário do documento contra o golpe.

Ele não quer fazer parte do abaixo-assinado liderado pela USP. É da turma do me-deixem-fora-disso.

Claro que foi sacanagem de alguém, e o homem tem o direito de retirar o nome.

O esdrúxulo é que um nome no manifesto contra uma nova ditadura se transforme numa fraude e em caso policial.

Claro que Skaf deve retirar o nome, como bolsonarista que é, e o caso precisa ser investigado. Esse é o Brasil.

Mas nada disso aconteceria se Skaf fizesse o que fez seu colega Horácio Lafer Piva, também ex-presidente da Fiesp.

Lafer Piva fez um dos discursos mais emocionantes do ato na USP na semana passada. Eis um trecho:

“Todos que estão aqui hoje lutam contra a apatia, lutam contra o populismo, lutam contra as ameaças, lutam contra o risco de deixar de lado o melhor de nós mesmos. É com democracia ou através dela que nós podemos reconhecer muitos dos nossos erros e tratarmos de consertá-los. A mobilização da sociedade é a essência da resposta para esse país.”

2 thoughts on “SKAF AO LADO DOS DEMOCRATAS CONTRA O GOLPE? É FRAUDE

  1. Estranho esse apoio unido, agora, do capital e do trabalho à democracia. Foram, sempre, os interesses do capital, contra os trabalhadores, que estiveram por trás de todos os golpes que a república sofreu ao longo da nossa história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


8 + 5 =