SOU PRÉ-CANDIDATO A DEPUTADO 

É cômodo ser militante da democracia, dentro de um partido, com suas virtudes, seus defeitos e seus conflitos, em tempos de calmaria. Eu decidi cumprir agora – em tempos de afronta às liberdades e de disseminação do fascismo sob as mais variadas formas – o projeto de participar da militância partidária.

É este ambiente que me mobiliza a ser pré-candidato a deputado estadual pelo PT do Rio Grande do Sul, no ano em que o maior líder popular do país foi encarcerado.

Se Lula resiste como candidato à presidência, mesmo sendo prisioneiro político, por que eu em liberdade não me submeteria ao desafio de ajudar a defender sua história e o muito que ele ainda tem a fazer pelo país?

Sou um interiorano que virou jornalista aos 17 anos. Um fronteiriço que nasceu em Rosário do Sul, passou infância e adolescência no Alegrete e virou adulto em Livramento.

A Fronteira é minha referência de vida. Mas também vivi em outras cidades. Estabeleci fortes laços com gente de São Borja, Bento Gonçalves e Ijuí. Meus dois filhos são de Ijuí.

Trabalhei em 10 veículos da imprensa do Estado. Iniciei na Gazeta de Alegrete e passei por A Plateia, de Livramento; Folha de São Borja, O Semanário, de Bento Gonçalves; Correio Serrano, Rádio Progresso e Cotrijornal, de Ijuí; Companhia Jornalística Caldas Júnior; O Interior, da Fecotrigo; e Zero Hora. Nos últimos dois anos, tenho sido colaborador, como colunista, do jornal Extra Classe e mantenho o blogdomoisesmendes.

Pretendo levar para a política de representação a coerência do que fiz no jornalismo. A atuação no parlamento estadual pode ser pautada não só por temas regionais, mas também pelas grandes questões do país, em todas as áreas.

Quero orientar meus compromissos com a democracia em seu sentido mais amplo, e não só como retórica. É missão essencial da política combater todas as manifestações de racismo, de xenofobia e de homofobia.

Não há democracia sem servidor público fortalecido e sem a preservação dos serviços e do patrimônio públicos e das expressões da cultura com apoio do Estado.

A defesa das liberdades e das diferenças deve ser real, efetiva. Não há democracia sem uma estrutura de comunicação que se apresente como contraponto à superestrutura da mídia hegemônica. Quero participar de um projeto que complete e amplie a ideia de resgate da TVE, da FM Cultura e de todo o sistema de comunicação destruído pelo atual governo. E que se agregue ao que já é feito nas iniciativas de comunicação comunitária.

Quero estar ao lado dos sindicatos, dos pequenos agricultores, dos ambientalistas e dos militantes cotidianos da democracia.

Me entusiasma a possibilidade sempre presente de ser confrontado com minhas ideias e minhas ações. Me desafia o compromisso com a reparação de eventuais contradições e conflitos entre o que eu digo e o que eu tenho feito como jornalista. Mas asseguro que nenhum projeto artificial de marketing político vai mudar o que sou.

Nunca pretendi ser neutro no jornalismo. Fiz militância como jornalista pela defesa de bens essenciais de todos nós. Por isso meu slogan é Jornalista de Palavra. Mesmo na política, não deixarei de ser jornalista de opinião e não deixarei de escrever.

Me sinto honrado de estar ao lado de Miguel Rossetto, pré-candidato ao governo do Estado, de Paulo Paim, pré-candidato à reeleição ao Senado, e dos nomes que serão apresentados aos parlamentos estadual e federal. Me sinto forte por estar ao lado de jovens e mulheres fortes.

Estou no partido que construiu governos populares e por isso mesmo enfrenta a avassaladora reação ultraconservadora. Estou no partido dedicado integralmente ao resgate da democracia plena depois do golpe de agosto de 2016. Reafirmo que meu candidato à presidência é Lula.

Quero ter a inspiração dos que resistem às ameaças da barbárie, para que o Rio Grande não seja nunca a república do relho. O Rio Grande deve ser a República das liberdades, do diálogo, do respeito e das diferenças. Foi o que sempre me mobilizou no jornalismo e vai me orientar na atuação política.

Quero estar ao lado dos que resistem. Os valentes são todos vocês, os militantes da democracia. Tenho a certeza de que estou do lado certo.
#LulaLivre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


9 + 3 =