NÓS DEPENDEMOS DESTES TRÊS

Os três ministros mais destemidos do Supremo hoje, os que não se assustam com os blefes do bolsonarismo, foram indicados pela direita. Gilmar Mendes, Celso de Mello e Alexandre de Moraes. Podem dizer que são isso ou aquilo, que não são confiáveis, que são liberais. Podem repetir tudo o que parte da esquerda gosta de

A VAIDADE DOS TOGADOS

A postura de Alexandre de Moraes não vai acionar os freios internos do Supremo apenas por questões técnicas e de razoabilidade ou sensatez, como andam dizendo, mas por questões humanas. É demasiado humano que ministros ultimamente quietos, alguns encolhidos, que se mantêm isentões, incomodem-se com o protagonismo de Moraes e Gilmar Mendes no enfrentamento do

O ERRO DO MANO EXIBICIONISTA

Membros de facções das mais variadas áreas, em toda parte, praticam o exibicionismo público ao lado dos que consideram poderosos. Os filhos de Bolsonaro cometem esse e outros erros e serão consumidos também pela incapacidade de gerir a própria ostentação. Se não houvesse a foto de Carluxo com o delegado amigo, a relação entre os

LAVA-JATO ATIRA EM MORAES E NO SUPREMO

Ninguém mandou Alexandre de Moraes mexer com a turma da Lava-Jato e ferir os interesses dos procuradores que se submetiam às ordens de Sergio Moro. Um grampo feito pela Polícia Federal em 2015 dá o troco. A Folha divulga hoje conversas comprometedoras de Moraes, que atuava informalmente (e ilegalmente) como advogado do desembargador Alexandre Victor

SUPREMO EXPÕE CONLUIO DE DALLAGNOL COM ADVOGADO

O julgamento do processo da prisão em segunda instância pelo Supremo está expondo de novo as muitas suspeitas em torno de Deltan Dallagnol, principalmente seu envolvimento com o advogado da partilha das causas contra a Petrobras nos Estados Unidos. Numa jogada claramente ensaiada, Gilmar Mendes citou o caso da fundação que Dallagnol pretendia criar, e