OS AVISOS DOS MILITARES DA VIZINHANÇA

Bolívia e Peru oferecem alguns sinais do que pode acontecer no Brasil, quando Lula retornar ao poder e tiver de devolver os militares às suas tarefas, depois de escolher os comandantes das três armas, além do ministro da Defesa. Na Bolívia, o presidente Luis Arce já trocou três vezes o alto comando das Forças Armadas. Em

SEGUE O EXPURGO DOS AMOTINADOS NA POLÍCIA FARDADA BOLIVIANA

Escrevi ontem sobre o fim do general boliviano Yuri Calderón, que a Justiça Militar expulsou da Polícia Nacional por crimes cometidos quando do golpe contra Evo Morales em novembro de 2019. Calderón era o chefe da Polícia, que na Bolívia é uma PM fardada, mas nacional, com atuação como polícia ostensiva (como agem no Brasil

O TRISTE FIM DE UM CHEFE DE POLÍCIA MILITAR DEPOIS DO GOLPE FRACASSADO

O general boliviano Yuri Calderón (foto) não é mais nada desde sexta-feira. Não é general, não pertence mais à Polícia Nacional, está preso preventivamente e pode ser condenado criminalmente a continuar na cadeia. Já o líder civil que o induziu a cometer crimes como golpista está solto. É uma realidade que os policiais militares brasileiros,

O ALERTA A QUEM DESEJA SER MILICIANO DE BOLSONARO

Pretensos milicianos com ambições políticas, que planejam cumprir missões paramilitares no Brasil, com Bolsonaro acima de tudo, devem prestar atenção no que aconteceu na Bolívia. Não são apenas os líderes civis e militares do golpe de 2019 que estão encarcerados. Há milicianos presos. Todos foram abandonados na cadeia pela direita e pela extrema direita que

AS CHINELAGENS DOS GENERAIS GOLPISTAS

As circunstâncias ampliam uma pergunta sempre incômoda: com quem estariam hoje os militares brasileiros, se Bolsonaro tentasse transformar o blefe em golpe? A resposta é dada pela História: só se sabe mesmo na hora do golpe. As posições são determinadas por convicções, oportunismos e muito também por covardias. Num golpe clássico, com intervenção do poder

A DELAÇÃO DO GENERAL GOLPISTA QUE SE ACOVARDOU

A sensação na imprensa e nas redes sociais bolivianas no momento é a lavação de farda suja dos militares que aplicaram o golpe em Evo Morales em novembro de 2019. Se prestarmos atenção no que acontece lá, poderemos prever o que pode acontecer aqui, se o blefe de Bolsonaro for levado adiante. Relembremos antes que

A CUMPLICIDADE COM OS GOLPISTAS BOLIVIANOS

O Brasil pode estar dando abrigo a dois foragidos da Justiça boliviana, o ex-chefe das Forças Armadas Williams Kaliman, desaparecido na semana passada, e o ex-ministro da Defesa Luis Fernando López, que já estaria aqui há muito mais tempo. Os jornais bolivianos informam que os dois fugiram para o Brasil, onde certamente desfrutam da proteção

A GANGUE QUE PODE INSPIRAR BOLSONARO

Bolsonaro deve sonhar com a formação de grupos como o liderado pelo boliviano Yassir Molina, que está ao centro na foto. Molina é procurado desde a tarde de terça-feira. Há uma ordem de prisão da Justiça contra ele. O sujeito é o líder de uma facção de extrema direita chamada Resistência Juvenil Cochala (RJC), de

PRENDERAM MAIS UM GOLPISTA

Está na cadeia, em prisão preventiva, mais um general golpista na Bolívia, todos envolvidos em ações repressivas que mataram civis em 2019. O preso é Franko Suárez Gonzáles. Já estavam encarcerados os generais Alfredo Cuéllar e Pastor Mendieta Ferrufino e o almirante Flavio Arce San Martin. Faltam três generais que têm ordem de prisão da