SE TENTAR O GOLPE, BOLSONARO PODE SE COMPLICAR MAIS DO QUE JEANINE AÑEZ

Bolsonaro deve pensar tanto em Jeanine Añez encarcerada que não conseguiu evitar o desabafo desta semana diante de civis e militares. Disse, quase infantil, que jamais será uma Jeanine. E repetiu: jamais. É terrível a situação de Jeanine Añez, a laranja boliviana que os chefes golpistas fizeram sentar na cadeira de Evo Morales em novembro

UMA ORGANIZAÇÃO GOLPISTA PODE PROTEGER A NOSSA DEMOCRACIA?

A mais importante notícia da semana, em defesa da democracia, é o pedido de socorro do Tribunal Superior Eleitoral para que a União Europeia, a Organização dos Estados Americanos (OEA) e o Carter Center ofereçam suporte ao Brasil nas eleições contra os ataques de Bolsonaro. O TSE quer proteção externa. A ameaça de sabotagem é

GOLPISTAS EM LIBERDADE

Esses dois aí da foto são os ex-comandantes da Marinha Palmiro Jarjury (à esquerda) e da Força Aérea Boliviana Gonzalo Terceros. Os dois finalmente confessaram participação no golpe de 2019 contra Evo Morales, foram condenados a três anos de prisão, mas ficarão soltos porque colaboraram com a Justiça. Na Bolívia, golpista não fica impune. Até

OS GOLPISTAS CONFESSARAM

Uma notícia para os candidatos a ajudante de golpista no Brasil. Dois ajudantes bolivianos finalmente admitiram que participaram do golpe de 2019 contra Evo Morales. São os ex-comandantes da Força Aérea, Gonzalo Terceros, e da Marinha, Palmiro Jarjuri Rada. Eles pediram ao Ministério Público um julgamento abreviado. Significa que confessam os crimes de motim, insubordinação

COMO A EXTREMA DIREITA ABANDONA SEUS MILICIANOS

O filme ‘Não olhe para cima’ tem uma situação exemplar do destino de subalternos e bajuladores (incluindo parentes) que se consideram parte da estrutura de poder montada por direita e extrema direita no século 21. Digo isso e aviso que esse texto é para quem já viu o filme e para quem não liga para

OS AVISOS DOS MILITARES DA VIZINHANÇA

Bolívia e Peru oferecem alguns sinais do que pode acontecer no Brasil, quando Lula retornar ao poder e tiver de devolver os militares às suas tarefas, depois de escolher os comandantes das três armas, além do ministro da Defesa. Na Bolívia, o presidente Luis Arce já trocou três vezes o alto comando das Forças Armadas. Em

SEGUE O EXPURGO DOS AMOTINADOS NA POLÍCIA FARDADA BOLIVIANA

Escrevi ontem sobre o fim do general boliviano Yuri Calderón, que a Justiça Militar expulsou da Polícia Nacional por crimes cometidos quando do golpe contra Evo Morales em novembro de 2019. Calderón era o chefe da Polícia, que na Bolívia é uma PM fardada, mas nacional, com atuação como polícia ostensiva (como agem no Brasil

O TRISTE FIM DE UM CHEFE DE POLÍCIA MILITAR DEPOIS DO GOLPE FRACASSADO

O general boliviano Yuri Calderón (foto) não é mais nada desde sexta-feira. Não é general, não pertence mais à Polícia Nacional, está preso preventivamente e pode ser condenado criminalmente a continuar na cadeia. Já o líder civil que o induziu a cometer crimes como golpista está solto. É uma realidade que os policiais militares brasileiros,