O JORNALISMO DEVE DIZER A BOLSONARO: NÃO MORREU AQUI ESSA HISTÓRIA

Bolsonaro lançou um desafio ao jornalismo, quando disse, no seu papel preferido de caricatura de ditador, que os motivos da demissão dos chefes militares são assunto dele e do novo ministro da Defesa. Só ele e o general Braga Netto saberiam o que aconteceu. E pronto. Essas foram as frases de Bolsonaro, na live de

A PRESSÃO DE BOLSONARO E O MAL SÚBITO DE BRAGA NETTO

A sequência até a demissão de Fernando Azevedo teve sinais recentes que a grande imprensa deixou passar por debaixo das pernas, porque subestimou esses fatos. No dia 25 de março, depois da reunião com os governadores, com Luiz Fux e os presidentes da Câmara e do Senado, para a farsa do comitê de combate à

A REUNIÃO DE BOLSONARO E O MAL SÚBITO DE BRAGA NETTO

Esta notícia está nos cantinhos dos sites. Depois da reunião de ontem com os governadores, com Luiz Fux e os presidentes da Câmara e do Senado, para a farsa do comitê de combate à pandemia, Bolsonaro chamou uma turma de peso ao seu gabinete. Trancou-se com os quatro militares do alto comando: Fernando Azevedo, ministro

AOS MILIONÁRIOS QUE PRETENDIAM FURAR A FILA: COMPREM LOGO UMA VAGA NO CÉU

Os empresários que formaram uma aglomeração virtual e foram pedir vacinas ao governo estão sendo tratados pela grande imprensa pelo que não são. Eles não são benemerentes por tentarem pagar pela própria imunização e pela proteção de mulheres, filhos, parentes e funcionários das empresas. O pedido de acesso privilegiado à vacina não pode ser tratado

BOLSONARO É O LÍDER

O jornalista Guilherme Amado, de Veja, informa que os ministros militares pediram mesmo a cabeça de Ricardo Salles a Bolsonaro. Bolsonaro fez o que todo mundo já sabe. Telefonou para Luiz Eduardo Ramos, que Salles chamou de Maria fofoca, e para Braga Netto, seu chefe da Casa Civil, e saíram a passear de moto. Todos

ABRAÇADOS NO MEIO DO REDEMOINHO

Há um certo alvoroço toda vez que Bolsonaro se desentende com algum general, depois de ter mandado sete generais embora do governo. Há quem acredite que o fim de Bolsonaro não será num embate contra os adversários, mas com gente da própria turma. A batalha final, com danos irreversíveis e o desmonte do governo, envolveria

BOLSONARO SOFRE POR SER ESNOBADO PELOS GENERAIS

Bolsonaro nunca teve o reconhecimento declarado do alto oficialato. É o contrário. O ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas disse em sempre lembrada entrevista à Folha que ele não era um militar. Foi um político que conseguiu comover as pessoas com a ideia de que havia sido militar. Para Villas Bôas, Bolsonaro apenas passou pelo

A CARA DA NOSSA ELITE MILITAR

Nenhum outro general se esforça tanto para mostrar que sua voz é a mais poderosa de todas as vozes das Forças Armadas dentro do governo. Nenhum defende tanto Bolsonaro quanto o homem que cuida da sua segurança. Nenhum fez ameaças tão pesadas, e dirigidas ao Supremo, sobre os riscos da ‘instabilidade’. O ministro do Gabinete

Bolsonaro

BOLSONARO É A CLOROQUINA DA DIREITA

O mercado tem uma dúzia de candidatos à espera da vaga de Paulo Guedes. Muitos são melhores do que ele, que sempre foi da série C do neoliberalismo do próprio mercado ou da academia. O problema não é a saída Guedes, um mediano esforçado, mas o ainda não bem decifrado lastro militar de Bolsonaro. O