O FAZENDEIRO, O ITAMARATY E A AMEAÇA COMUNISTA

Roberto Magalhães Suñe foi um fazendeiro de Bagé. Entrava-se na casa dele na cidade para não querer mais sair. Tinha obras de arte por todo lado. Nas paredes, até perto do teto, nas mesas, nos cantos. Djanira, Vasco Prado, Di Cavalcanti, Iberê, Carangi, Manabu Mabe, Glauco Rodrigues, Waldeny Elias. Na hora do almoço na Estância

O gauchismo do véio da Havan

Ao se fantasiar de gaúcho, o empresário bolsonarista tenta se apresentar como novo ícone do tradicionalismo de extrema direita. É o tema do meu texto quinzenal no jornal Extra Classe, nesse link: https://www.extraclasse.org.br/opiniao/2019/11/o-gauchismo-do-veio-da-havan/?fbclid=IwAR0kdgnfTaXYDLsnZMty92NRh8daEutrsjgIJxCQHiHsNenGTrKAexRTx20

Tudo vermelho

O texto abaixo é da página do Jorge Furtado no Face book: Uma das criminosas que invadiram o Congresso ontem pedindo intervenção militar (espero que estejam e fiquem presos) aponta para uma bandeira do Japão, num painel que comemora a imigração japonesa, e fala da ameaça comunista no Brasil. Eliminando a ignorância e o ridículo,