OS URUGUAIOS RESISTEM

Os uruguaios viram ontem uma manifestação improvável no Brasil. Mais de mil pessoas se concentraram no centro histórico de Montevidéu, carregando cartazes com fotos de assassinados e desaparecidos na ditadura. Mães e familiares das vítimas dos militares foram reclamar a abertura de relatórios com depoimentos de assassinos à Justiça Militar. Um desses depoimentos pode provocar

PRECISAMOS FALAR DA CASA DA MORTE

Deve ser lida sem pressa, como lição de História, a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal contra três agentes da ditadura acusados do sequestro, da tortura e do desaparecimento do advogado Paulo de Tarso Celestino da Silva, em 1971. Silva foi levado pelos torturadores para o prédio que ficou conhecido como a Casa da Morte,

O que não aprendemos

Suzana Lisbôa, viúva do militante político Luiz Eurico Tejera Lisbôa, assassinado pela ditadura, participou de um debate com o jornalista Rafael Guimaraens, no lançamento do novo livro dele, O Sargento, o Marechal e o Faquir (Libretos). Foi agora à noite, na Fundação Ecarta. Suzana procurou e encontrou o corpo do marido desaparecido em 1972, um