A VAIDADE DOS TOGADOS

A postura de Alexandre de Moraes não vai acionar os freios internos do Supremo apenas por questões técnicas e de razoabilidade ou sensatez, como andam dizendo, mas por questões humanas. É demasiado humano que ministros ultimamente quietos, alguns encolhidos, que se mantêm isentões, incomodem-se com o protagonismo de Moraes e Gilmar Mendes no enfrentamento do

O SILÊNCIO DE MINISTROS DO SUPREMO

Quase todos os ministros do Supremo se manifestam publicamente, em algum momento, muitas vezes de forma incisiva, para um lado ou para outro, mas sempre em defesa da instituição que os acolhe. Ministros ficam em cima do muro, ficam ao lado do muro e às vezes são o próprio muro. Quase todos falam sobre questões

TRÊS VEZES NEFASTO

O ministro Dias Toffoli diz na sua carta contra as manifestações golpistas de domingo que o autoritarismo é nefasto, que os fundamentalismos são nefastos e que o ataque às instituições é nefasto. Três vezes a palavra nefasto, talvez porque o ministro tenha tentado economizar palavras. E essa repetição quer dizer o quê? Que, com o

Remendos para Bolsonaro

Só os políticos da extrema direita não atacaram a medida provisória fascista, que permitia a suspensão dos salários por quatro meses. Até Rodrigo Maia atacou o plano de Bolsonaro, falando como se fosse um deputado do PT, do PSOL ou do PCdoB. Maia está muito esquerdista. Mas antes de Bolsonaro voltar atrás, uma figura, uma

UM GÊNIO TEVE A IDEIA DAS MÁSCARAS

O bolsonarismo produz coisas esdrúxulas sem muito esforço. Quem teve a ideia de colocar máscaras nos ministros na coletiva de ontem em que Bolsonaro pretendia (mas não conseguiu) apresentar-se como um líder sensato e responsável? E quem teve a ideia de levar a mesma ideia e enfiar uma máscara no presidente do Supremo, no evento

TOFFOLI, ALCOLUMBRE E MAIA TÊM SEIS DIAS

Esta semana é decisiva para que os comandantes do Supremo, do Senado e da Câmara digam se têm suportes político e institucional suficientes para enfrentar Bolsonaro. O protesto que mexe com a autoridade de todos eles está marcado para domingo. São seis dias para firmar posição. Dias Toffoli, Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia têm seis

MORO AINDA ESTÁ PENSANDO

Se tivessem tempo, quase todos os procuradores alinhados com a Lava-Jato teriam defendido a operação atacada pelo ministro Dias Toffoli. O presidente do Supremo disse em entrevista ao Estadão que a Lava-Jato quebrou empresas investigadas. Deltan Dallganol rebateu no Twitter: “Dizer que a Lava Jato quebrou empresas é uma irresponsabilidade. Primeiro: é fechar os olhos

OS DESTRUIDORES DE EMPRESAS

Preparem-se para o revide, depois da declaração de Dias Toffoli ao Estadão de que a Lava-Jato destruiu empresas. “A Lava Jato foi muito importante, desvendou casos de corrupção, colocou pessoas na cadeia, colocou o Brasil numa outra dimensão do ponto de vista do combate à corrupção, não há dúvida. Mas destruiu empresas. Isso jamais aconteceria