A COVARDIA DOS EMPRESÁRIOS

Se o Brasil não tivesse se transformado num país de acovardados, que assistiu à ascensão do fascismo sem nenhuma reação política articulada, as agressões da família Bolsonaro contra o Supremo seriam encerradas nos próximos dias. Não passariam de maio. Mas isso só aconteceria se o Brasil tivesse entidades liberais fortes, conservadoras mas vigorosas, e não

LARA RESENDE E OS FARSANTES DO LIBERALISMO BOLSONARISTA

Mais um liberal saiu da toca, depois de desfrutar por um bom tempo das expectativas criadas pelo golpe que ajudou a patrocinar pelo silêncio e pela omissão. Agora é André Lara Resende que vai a campo para dizer, em entrevista à Folha, que o liberalismo de Paulo Guedes é primitivo. No final de novembro, Demétrio

O cansaço com as besteiras

Chegamos à exaustão. Concordo com os que se queixam do cansaço de ter de comentar e ler comentários sobre o comportamento de Bolsonaro, dos filhos de Bolsonaro, do ex-juiz Sergio Moro, de Paulo Guedes, de Augusto Heleno. Não há nada que seja produzido por eles (e nem vamos falar de Damares, Araujo e Weintraub), como

A Fiesp bolsonarista

Paulo Skaf disse na Fiesp, diante de Paulo Guedes e de Bolsonaro, que os empresários paulistas têm as melhores expectativas com a economia, porque confiam no governo. Será que Paulo Skaf fala mesmo pela maioria? Se não fala, por que a maioria fica quieta? Ou o empresariado paulista está mesmo cegamente hipnotizado pelo bolsonarismo?

O quartel da Fiesp

Paulo Skaf, bolsonarista juramentado, presidente da Fiesp, confirmou em artigo na Folha esta semana a acusação de ex-dirigentes da entidade, que apontam para a militarização da mais importante organização empresarial do país. Skaf escreve, como se dissesse uma banalidade: “Temos em nosso quadro quatro oficiais de alta patente da reserva em postos de confiança”. Que