Os estudantes presos e os farsantes de uma democracia disfuncional

Joe Biden é o mais republicano dos democratas. As circunstâncias o levaram a ficar diante da verdade, que contraria sua própria trajetória. Biden é um fraco que, na velhice e no poder, descobre-se como reacionário. Apoia o genocídio em Gaza e não sabe como se livrar da subserviência ao governo neonazista de Israel. E agora

Está desmontada a versão do governo genocida de Israel

O New York Times fez o que era previsto. Analisou os vídeos com tomadas aéreas, fornecidos pelo próprio governo de Israel, sobre a morte de mais de 100 palestinos ontem em Gaza, e concluiu o que já se sabia. Não há evidência alguma de atropelamentos e tampouco de pisoteio nas imagens que mostram as pessoas

Imagens vão desmentir a versão dos neonazistas

Não há, nas imagens de satélite e de drones divulgadas por Israel, nada que prove que 112 palestinos morreram atropelados ou pisoteados. O jornalismo já está desafiado a examinar as imagens, com a ajuda de peritos, para mostrar o que de fato aconteceu. Não há sinais de movimentação dos caminhões e nem aglomeração suficiente para

Esperavam um pedido de desculpa de Lula e levaram mais uma invertida

Os mandaletes de Netanyahu pediram tanto que Lula se retratasse do que disse na Etiópia, que conseguiram provocar uma reação do presidente. Finalmente, Lula deixou o silêncio e deu a resposta hoje, no lançamento de um programa da Petrobras. Leiam o que Lula disse, diante do pedido de retratação dos genocidas: “O que Israel faz

Pelo fim dos silêncios e das covardias individuais, coletivas e institucionais

Lula não tirou um, mas muitos neonazistas da toca ao gritar que os palestinos são assassinados pelos israelenses assim como os judeus foram massacrados pelos nazistas. Lula quebrou, no domingo na Etiópia, com a radicalidade da acusação de genocídio e a analogia com o holocausto, o silêncio de muitas covardias institucionais, de governos e organismos

O desprezo da ONU pelos seus servidores

Israel matou 200 pessoas no sábado num campo de refugiados de Jabaliya, em Gaza, em área administrada pela ONU. Israel já assassinou com suas bombas mais de cem servidores da ONU em Gaza. Eram 102 funcionários mortos até a última contagem, na segunda-feira. Nunca morreram tantos servidores da ONU em guerras como estão morrendo agora,

O fascismo não quer saber de protagonismo dos prisioneiros resgatados por Lula

Shahed Al-Bana é daquelas figuras que aparecem num lampejo, em circunstâncias inesperadas, ganham exposição e saem de cena deixando um aviso: posso voltar. Podem retornar por terem brilho, personalidade forte, a fala e a força da representação do que dizem. Aos 18 anos, Shahed (ao centro na foto) parece ter muito mais a dizer. Nenhum

As vozes que avalizam o terror de Israel

Uma das diversões preferidas da humanidade é a tentativa de descobrir o que veio primeiro. Deus ou o diabo? Bolsonaro ou o bolsonarismo com outro nome? O terror palestino ou o terror israelense? A ordem dos nomes dos personagens na pergunta já sugere escolhas. Por que não perguntar: o terror que veio antes é o israelense

Israel pode bombardear hospitais de Gaza? Vejam a resposta do jurista Wálter Maierovitch

Se o jurista Wálter Maierovitch tem uma opinião ‘legalista’ sobre o bombardeio de hospitais em Gaza, o que se pode esperar de um mané fascista, mesmo que não seja um radical sionista? Vejam o que ele escreveu em sua coluna no UOL, dando algumas voltas para sugerir que Israel pode, sim, bombardear hospitais palestinos. O