A MANSÃO PROTEGIDA PELOS GENERAIS

Flavio Bolsonaro avisa aos que chegarem perto da sua mansão de R$ 6 milhões: homens de Augusto Heleno protegem o lugar. O sujeito quer dizer que eles têm mais do que um serviço de segurança, têm a proteção dos generais. A mansão e a ameaça de Flavio Bolsonaro são o tema do meu texto no

O DIFÍCIL CAMINHO DE VOLTA AOS QUARTÉIS

Os generais podem abandonar Bolsonaro, em algum momento, como já abandonaram muita gente boa no meio do caminho. A História do poder em diferentes épocas e países tem inúmeros casos de abandonos surpreendentes. Até porque já está consagrado que eles não consideram Bolsonaro um militar clássico, o que facilitaria uma retirada. Bolsonaro apenas serviu ao

BOLSONARO TEM CORAGEM DE TESTAR A FIDELIDADE DOS SEUS GENERAIS?

Golpistas e golpeados sabem que a fidelidade dos militares a uns e aos outros só se manifesta na hora da verdade. E a hora da verdade é o golpe. Está na Bíblia, mas vem de antes de Cristo. Bolsonaro blefa como se tivesse a fidelidade dos seus militares empregados no governo. Sabe não blefa com

O FIM DE SARA WINTER FOI O FIM DE BOLSONARO

Sara Winter parecia ser apenas a imbecil do blefe do golpe, mas cumpria a tarefa de fazer as encenações em Brasília. Com a prisão dela, Bolsonaro perde o teatro que atraiu até alguns dos seus generais. Com a reação do Supremo e a prisão de Sara, Bolsonaro viu ir embora a ilusão de que poderia

AGORA, O RECADO A BOLSONARO É DE TODOS OS CHEFES MILITARES

Um dia depois das manifestações do comandante do Exército, Edson Pujol, de que os militares não estão a serviço de governos e de partidos, mas do Estado e do país, hoje há mais um recado a Bolsonaro. Desta vez, uma nota em defesa da missão constitucional dos militares, com a mesma mensagem: não há como

O RECADO DOS MILITARES A BOLSONARO: PARE DE BLEFAR

Bolsonaro sempre soube que não tinha pólvora. Agora não tem mais generais quietos diante das besteiras que diz. Talvez também nem tenha mais um jipe com um soldado e um cabo dispostos a segui-lo incondicionalmente. Bolsonaro está dependurado no galho seco e inconfiável do centrão, e o que vê lá embaixo é um penhasco que

OS GENERAIS E O NÚCLEO IDEOLÓGICO LIDERADO POR CARLUXO

É muito estranha essa história de que haverá um duelo mortal entre a ala militar e o núcleo ideológico do governo, depois da briga de Ricardo Salles com o general Luiz Eduardo Ramos. Que ala ideológica é mesmo essa? Quem for tentar descobrir, para ir além da superfície das notícias que a imprensa repete, verá

ABRAÇADOS NO MEIO DO REDEMOINHO

Há um certo alvoroço toda vez que Bolsonaro se desentende com algum general, depois de ter mandado sete generais embora do governo. Há quem acredite que o fim de Bolsonaro não será num embate contra os adversários, mas com gente da própria turma. A batalha final, com danos irreversíveis e o desmonte do governo, envolveria