AS CHINELAGENS DOS GENERAIS GOLPISTAS

As circunstâncias ampliam uma pergunta sempre incômoda: com quem estariam hoje os militares brasileiros, se Bolsonaro tentasse transformar o blefe em golpe? A resposta é dada pela História: só se sabe mesmo na hora do golpe. As posições são determinadas por convicções, oportunismos e muito também por covardias. Num golpe clássico, com intervenção do poder

BOLSONARO NÃO SE CANSA DE HUMILHAR OS GENERAIS

Bolsonaro avisa que chegou ao limite com Hamilton Mourão. O vice incomoda e vem falhando nas tarefas recebidas. Mourão foi até aqui um auxiliar mediano e inconfiável de Ricardo Salles, como presidente do Conselho da Amazônia. Salles foi mandado embora, depois da descoberta de envolvimento com contrabandistas de madeira, grileiros e jagunços, e Mourão não

A DELAÇÃO DO GENERAL GOLPISTA QUE SE ACOVARDOU

A sensação na imprensa e nas redes sociais bolivianas no momento é a lavação de farda suja dos militares que aplicaram o golpe em Evo Morales em novembro de 2019. Se prestarmos atenção no que acontece lá, poderemos prever o que pode acontecer aqui, se o blefe de Bolsonaro for levado adiante. Relembremos antes que

A CADEIA É O LUGAR DOS GOLPISTAS NA BOLÍVIA

Mais um aviso a quem tem ambições golpistas, em qualquer lugar. Estão na cadeia todos os chefes militares bolivianos das três armas, que ajudaram na execução do golpe contra Evo Morales, em novembro de 2019, sob as ordens da polícia amotinada. Estão presos há uma semana, em La Paz, Jorge Gonzalo Terceros Lara, ex-comandante da

A SOLIDÃO DE HAMILTON MOURÃO E SANTOS CRUZ

Se os generais Hamilton Mourão e Santos Cruz juntassem suas solidões, teríamos uma solidão de bom tamanho, mas que continuaria sendo apenas solidão. Mourão e Santos Cruz não têm potência para transformar o abandono e o desprezo que enfrentam em algo de maior significado. Mourão é um general solitário dentro de um governo de generais

É PRECISO MEDIR OS ESTRAGOS DO GENERAL DA CLOROQUINA NA IMAGEM DOS MILITARES

O Datafolha tem subprodutos irrelevantes das pesquisas que faz. Por exemplo, por que perguntar para pessoas em situação de miséria se estão satisfeitas com o auxílio emergencial de R$ 150 a R$ 375, se a resposta é a esperada? Para 87%, o auxílio não significa quase nada. É o que diz o Datafolha desta semana.

BOLSONARO TEM A ADMIRAÇÃO DOS GENERAIS QUE FICARAM

Há um detalhe revelador de apreço e afeto na fala do ministro Luiz Eduardo Ramos, quando o general chefe da Casa Civil admite que tomou escondido a vacina contra a Covid-19. O general (na foto com Bolsonaro) confessa que ninguém deveria saber e especular sobre o que ele estava contando. E fala com sentimento. Ficamos

BOLSONARO DESMORALIZA ATÉ O IMPONDERÁVEL

Vão fracassar os que tentarem se lembrar de todos os grandes desatinos de Bolsonaro que resultaram em sequelas políticas. Sem a ajuda do Google, é impossível. E em alguns dias é provável que tenhamos esquecido até, como fato relevante e surpreendente, que ele mandou embora quatro comandantes militares de uma só vez. Mandou dois generais,

O GOLPE DE BOLSONARO É BLEFAR E METER MEDO

A palavra povo não aparece nas falas rasas que Bolsonaro tenta fazer de improviso. Não aparece muito menos nos discursos em que ele soletra o que escrevem para que leia o que não sabe numa máquina de teleprompter, olhando mecanicamente para os lados e forçando entonações e pausas em que imita a si mesmo. O

LULA EXPÔS O DILEMA DOS MILITARES QUE DÃO PROTEÇÃO A BOLSONARO

Lula começa a atormentar a direita e a extrema direita porque só ele é capaz de atitudes consideradas impensáveis. Quando alguém, em manifestação pública, ao vivo para todo o Brasil, questionaria a postura dos militares de forma tão incisiva, como fez Lula esta semana em São Bernardo do Campo? Não foi um questionamento retórico, como