BOLSONARO SOFRE POR SER ESNOBADO PELOS GENERAIS

Bolsonaro nunca teve o reconhecimento declarado do alto oficialato. É o contrário. O ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas disse em sempre lembrada entrevista à Folha que ele não era um militar. Foi um político que conseguiu comover as pessoas com a ideia de que havia sido militar. Para Villas Bôas, Bolsonaro apenas passou pelo

OS HUMILHADOS

Se Bolsonaro mandar Eduardo Pazuello embora, por causa da vacina chinesa, estará dispensando o oitavo general. Incluindo Hamilton Mourão, que já está escanteado e não será seu vice em 2022, são oito. Mais três e dá pra fazer um time de generais usados e depois esnobados e humilhados por Bolsonaro. A questão hoje nem é

FOI-SE O SÉTIMO GENERAL

Caiu o sétimo general mandado embora sem despedidas e sem honras por Bolsonaro. Otávio Rêgo Barros, sempre citado como um moderado, nunca conseguiu ser o porta-voz do governo, porque os garotos não deixaram, Para que porta-voz, se há um gabinete comandado pelos filhos do homem, dentro do Planalto, para produzir notícias falsas muito melhores do

A CARA DA NOSSA ELITE MILITAR

Nenhum outro general se esforça tanto para mostrar que sua voz é a mais poderosa de todas as vozes das Forças Armadas dentro do governo. Nenhum defende tanto Bolsonaro quanto o homem que cuida da sua segurança. Nenhum fez ameaças tão pesadas, e dirigidas ao Supremo, sobre os riscos da ‘instabilidade’. O ministro do Gabinete

CAMARADAGEM

Notinha só aparentemente ingênua de Robson Bonin, colunista de Veja: “O ministro da Defesa, Fernando Azevedo, fez questão de receber o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, para uma conversa no ministério antes da saída do colega do comando do STF. Não chega a ser uma homenagem, mas um sinal de camaradagem entre Azevedo e

O ENCOLHIMENTO DE BOLSONARO, DOS GENERAIS E DA GLOBO

Está no ar o que o general Augusto Heleno chamou, ao se referir ao novo normal de Bolsonaro, de um esforço pela conciliação. Bolsonaro, os generais, a Globo, a Folha, os jornalistas amigos do poder, os que fingem ser do lado inimigo – está todo mundo em ponto morto. O tom da cobertura da Globo

OS MILITARES USADOS POR BOLSONARO

Bolsonaro é tutelado pelos militares e, ao mesmo tempo, utiliza-se deles para fazer seu jogo sem rumo e sem método? Parece uma questão óbvia e trivial, mas não é. Muito menos agora, quando Bolsonaro hiberna há uma semana e só faz propaganda da cloroquina, mas pode ressuscitar a qualquer momento. Esse é o balanço resumido

CHAMEM O GAITEIRO

Os ministros militares decidiram entrar com uma representação na Procuradoria-Geral da República contra Gilmar Mendes. É pela acusação de Mendes de que as Forças Armadas são cúmplices do genocídio da pandemia ao manterem um general como ministro da Saúde. Bolsonaro queria uma trégua com o Supremo enquanto cuida do complicado caso do Queiroz e toma

GILMAR MENDES NÃO LARGA DO PÉ DELES

Mais dois recados de Gilmar Mendes aos militares, hoje à tarde no Twitter: A primeira postagem: “No aniversário do projeto que leva o nome de Rondon, grande brasileiro notabilizado pela defesa dos povos indígenas, registro meu absoluto respeito e admiração pelas Forças Armadas Brasileiras e a sua fidelidade aos princípios democráticos da Carta de 88”.

A ARGENTINA PERDEU O MEDO DE ENQUADRAR SEUS GENERAIS

A democracia brasileira aprenderia muito com os argentinos, se prestasse atenção no que eles continuam fazendo para manter golpistas civis e militares sob controle. Eles não têm na Constituição nenhum artigo 142 que permita leituras enviesadas sobre golpismo. Não existe nada parecido com esse debate fajuto que consome os brasileiros sobre o presumido poder moderador