Um fracasso

A cobertura dos grandes jornais do assassinato do miliciano na Bahia é precária. Não é preguiça, nem falta de gente. Os jornais têm medo de Bolsonaro e de Sergio Moro. Em outros tempos, as melhores equipes dos jornais estariam acampadas no entorno do cenário da execução. Hoje, fazem cobertura de campo de dentro das redações.