Na DCM TV, Maria Carolina Trevisan fala dos danos do excesso de bolsonarismo

Compartilho o Café da Manhã de hoje da DCM TV, com Kiko Nogueira e Thalita Sotero, que entrevistou a jornalista Maria Carolina Trevisan, autora, com o economista Maurício Moura, professor da Universidade George Washington, do livro “Voto a Voto – Os Cinco Principais Motivos que Levaram Bolsonaro a Perder (por Pouco) a Eleição”. Maria Carolina

A íntegra da decisão contra ação do véio da Havan em São Paulo

Compartilho abaixo a íntegra de decisão da 6ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) que, por cinco votos a dois, rejeitou apelação do empresário Luciano Hang em processo por danos morais contra o autor deste blog e o jornalista Kiko Nogueira, do DCM. A ação de Hang havia sido

Vencemos de novo o véio da Havan

O jornalismo venceu mais uma vez. O advogado Francisco Ramos informa de São Paulo: derrotamos de novo, agora em segunda instância, o autoproclamado véio da Havan. Eu e o jornalista Kiko Nogueira fomos acusados de injúria por causa de um artigo escrito por mim e publicado no DCM em outubro de 2019. Kiko é o

KIKO NOGUEIRA E O JORNALISMO DERROTAM O PRÍNCIPE FAKE

O jornalista Kiko Nogueira, diretor do DCM, jornal do qual sou colaborador, com muito orgulho, venceu mais uma guerra na Justiça contra um bolsonarista militante de extrema direita. A ação que Nogueira derrotou agora havia sido impetrada pelo príncipe (imaginem, um príncipe farsante…) Luiz Philippe de Orleans e Bragança. Kiko Nogueira e eu somos réus

O JORNALISMO E A DEMOCRACIA PERDEM RENAN ANTUNES DE OLIVEIRA

Perdemos mais um dos grandes do jornalismo de combate. Renan Antunes de Oliveira morreu hoje aos 70 anos. Seu último trabalho, que não estava concluído, é uma série sobre os desmandos do véio da Havan, publicada no DCM. Conversamos menos de um mês atrás. Estava feliz com o transplante de rim que o havia livrado

O CABRA QUE NÃO CONSEGUIU SER CORONEL

Ciro Gomes tentou ser coronel do Nordeste, um coronel bacana, bem ‘muderno’, progressista nos costumes e vago e retórico em relação a questões essenciais da democracia, das lutas sociais e da economia. Não conseguiu, porque o coronelismo entrou em crise. Ciro saltou fora do ninho e decidiu então que se apresentaria como um cara de