AINDA SOBRE MACHADO

Um texto domingueiro sobre a controvérsia em torno da leitura de clássicos por adolescentes, provocada por Felipe Neto. Escrevi ontem sobre o assunto (está nas postagens anteriores) e hoje publico um texto com posição inversa, que compartilho do original no Facebook, porque assim funciona o bom debate, que ajuda a ressuscitar a obra do Machadão.

MACHADO, FELIPE E TENÓRIO

O Brasil dos influenciadores e youtubers ressuscita, como se fossem novos, velhos debates do século 20, quando muita gente era criança lá em Barbacena. É o caso da provocação de Felipe Netto de que “forçar adolescentes a lerem romantismo e realismo brasileiro é um desserviço das escolas para a literatura”. É dureza ler os decretos

GALEANO E A DITADURA UNIVERSAL DO MEDO

Em 2008, Eduardo Galeano concedeu essa entrevista por e-mail, publicada no Caderno de Cultura de Zero Hora. Conversamos antes da vinda dele a Porto Alegre para lançar seu novo livro, Espelhos. Esta semana, na quinta-feira, dia 3, o escritor completaria 80 anos. Galeano veio e lotou o auditório da Assembleia Legislativa de jovens, numa noite

A PESTE LEVOU SÉRGIO SANT’ANNA

Todos os dias o coronavírus mata um pedreiro, um professor, um padeiro, um médico, uma enfermeira, um motorista, um negro sem CPF. Mata centenas. E agora também mata um artista, um escritor ou um jornalista todos os dias. Escolhe e mata. Hoje matou Sérgio Sant’Anna. Na juventude impune, escrevi contos e até um romance tentando

A BENEVOLÊNCIA COM OS MORTOS

Dos mortos, que só se fale de bem. Ou no original em latim: “De mortuis nihil nisi bonum”. A frase, sempre repetida nas tentativas de proteger algum morto exposto a controvérsias, seria de Quilão de Esparta, um dos sete sábios da Grécia. Pois morreu Rubem Fonseca, um dos maiores escritores brasileiros, mas também um dos

O SARAU, BOB DYLAN E EU

O Sarau Elétrico é um bravo sobrevivente numa Porto Alegre alquebrada, que ficou feia e reacionária. Que parece ter apenas a tal orla como atração e como negócio, com um prefeito que só pensa em urbanização nas áreas ricas e que abandonou vilas, ruas, escolas e praças. Mas o Sarau resiste junto com o Ocidente

O FILHO DE BOLSONARO E O LEONARDO DA VINCI

O deputado Eduardo Bolsonaro compete com o pai na produção de besteiras diárias. A última dele pelo Twitter é uma tentativa de denunciar o Colégio Leonardo da Vinci, de Porto Alegre, que estaria impondo aos alunos a leitura do livro ‘Abaixo a Ditadura’, de Cláudio Martins. Se estivesse recomendando a leitura, não haveria nada de

Por que o JB dispensou Drummond

Os jornais registram hoje os 30 anos da morte de Carlos Drummond de Andrade. Cada vez que falam do poeta eu me lembro de um episódio de 1984 que se repete ainda mais hoje, quando os jornais se livram de colaboradores de prestígio como se estivessem se livrando de fardos. Pois em 1984, para consolo