O TRISTE FIM DE UM CHEFE DE POLÍCIA MILITAR DEPOIS DO GOLPE FRACASSADO

O general boliviano Yuri Calderón (foto) não é mais nada desde sexta-feira. Não é general, não pertence mais à Polícia Nacional, está preso preventivamente e pode ser condenado criminalmente a continuar na cadeia. Já o líder civil que o induziu a cometer crimes como golpista está solto. É uma realidade que os policiais militares brasileiros,