OS IRMÃOS E OS CORONÉIS

Luís Ricardo Miranda, chefe da divisão de importação do Ministério da Saúde, e seu irmão, o deputado Luís Cláudio Miranda (DEM-DF), contribuem para envolver pelo menos quatro oficiais do Exército de Bolsonaro em suspeitas com as máfias das vacinas. As Forças Armadas pagam o alto custo da cumplicidade com um governo em que uma pandemia

QUEM É O FULANO?

A CPI terá de investigar e esclarecer quem é o sujeito a quem Bolsonaro se refere na conversa com o deputado Luís Claudio Miranda no dia 20 de março, no Alvorada. O deputado disse que Bolsonaro foi informado sobre possíveis rolos na importação superfaturada da vacina Covaxin e exclamou que poderia saber quem estava envolvido

DEPUTADO MIRANDA COMEÇA ATIRANDO

Quem pode, deve parar o que está fazendo. Começa agora a sessão que vai ouvir os irmãos Miranda, que hoje podem destroçar o governo Bolsonaro. Luís Ricardo Fernandes Miranda, chefe da divisão de importação do Ministério da Saúde, e seu irmão, o deputado Luís Cláudio Miranda (DEM-DF) vão falar sobre os rolos na compra superfaturada

OS PÂNTANOS DE BOLSONARO ENGOLEM OS MILITARES

Complica-se cada vez mais a imagem das Forças Armadas, com a participação de generais e altos oficiais como protagonistas de todas as áreas do governo negacionista, vingativo, destruidor, medíocre e corrupto de Bolsonaro. Confirma-se uma previsão que se repete desde o início do governo. Com grande participação de cerca de 6 mil militares no poder,

O ERRO AMADOR DE BOLSONARO COM OS IRMÃOS MIRANDA

Ricardo Salles caiu, mas agora não queremos saber detalhes da queda de Salles. Não é a prioridade num dia tão cheio. O que precisamos saber é do caso da Precisa e tentar entender por que Bolsonaro cometeu uma barbeiragem que um assessor de Odorico Paraguaçu não cometeria. Precisamos saber tudo sobre a empresa envolvida na

A GUERRA SUJA DAS FACÇÕES

São dois os impactos imediatos da guerra deflagrada por Bolsonaro contra os governadores, que apenas começa com a pedalada na casa de Wilson Witzel. O primeiro impacto é o mais óbvio: o governo vai dizer que a pandemia passou a fazer parte da engrenagem da corrupção. O segundo: os governadores vão gritar que são perseguidos

Desproporcional…

Assim começa uma notícia de hoje no Globo: “Na contramão de um relatório técnico do Tribunal de Contas da União (TCU), os ministros da Corte de contas excluíram o ministro-chefe licenciado da Casa Civil, Eliseu Padilha, de processo que cobrava pagamento de R$ 7,2 milhões por obras superfaturadas em 2001, ano em que comandava o Ministério