NÃO ACONTECERÁ NADA COM O CONTROLADOR DESCONTROLADO

Estão chamando Wagner do Rosário, chefe da Controladoria-Geral da União, de machista, porque o sujeito disse hoje na CPI do Genocídio que a senadora Simone Tebet estava “totalmente descontrolada”. Chamam Rosário de machista, repetem e reafirmam que o sujeito é machista e pau-mandado de Bolsonaro. O homem vai à CPI, ataca uma senadora, bate boca

A ACELERAÇÃO DE RICARDO BARROS

O ritmo de Ricardo Barros na CPI do Genocídio é de aceleração na arrancada. O líder de Bolsonaro parece um narrador de corrida de cavalos. Está ofegante. Há uma mistura de excitação, nervosismo e impaciência. E já disse essa frase para fazer rir: “O combate à corrupção está no DNA do governo Bolsonaro”. A tropa

AS DIGITAIS DE GUEDES NA NEGAÇÃO DA VACINA

Paulo Guedes era, com argumentos legalistas e fiscalistas, parte do esquema montado por Bolsonaro para negar a vacina, como conta a Folha hoje. Guedes, o liberal, fazia parte da estrutura negacionista que tentava retardar as negociações com a Pfizer, com desculpas de economista responsável. Esta é a reportagem de William Castanho, Mateus Vargas e Bernardo

A FOLHA DESMORALIZA O JORNALISMO DA FOLHA

A Folha conseguiu o que deve estar tentando desde o começo dos rolos das vacinas. Fabricou uma manchete para colocar Lula ao lado de Bolsonaro como possível comprador de vacina dos vendedores mancomunados com coronéis. Esta é a manchete, que esteve em destaque na versão online pela manhã: “Vendedores de vacina citavam de Lula a

OS CORONÉIS, DE NOVO

O interrogatório de Cristiano Carvalho (representante no Brasil da Davati Medical Supply), na CPI do Genocídio, apresenta de novo a sempre presente lista de coronéis envolvidos nos rolos das vacinas. Carvalho já citou os coronéis Elcio Franco, ex-secretário-executivo da Saúde (o mais citado de todos, sempre), e os coronéis Marcelo Blanco, Glaucio Octaviano Guerra, Cleverson

APENAS A MÃO DO GATO (AO VIVO NA CPI)

Outra reportagem da Folha complica ainda mais a vida do coronel Elcio Franco, ex-secretário executivo do Ministério da Saúde. Franco é mostrado em reportagem de Vinicius Sassine como o homem que, ao responder ofício da diretora da Precisa Medicamentos, Emanuela Medrades, muda com urgência, em fevereiro, a forma de pagamento pela vacina indiana Covaxin. Emanuela

BOLSONARO JÁ GANHOU OS IRMÃOS

O deputado Luis Miranda está com um roteiro bem treinado no Roda Viva. O esforço é para proteger Bolsonaro, que seria vítima das facções que roubam o dinheiro das vacinas. Parece que está atacando Bolsonaro, mas o que ele faz é defender o sujeito, repetindo a versão de que o genocida se espantou diante das

Não há outra saída para a CPI, depois do depoimento do ex-diretor de Logística da Saúde Roberto Dias, que saiu preso do Senado por mentir sobre o encontro com vendedores de vacinas. A única saída é reconvocar o coronel Élcio Franco, ex-diretor executivo do Ministério da Saúde, que comandava os negócios com vacinas. E, se

O EXÉRCITO QUER SABER O QUE SEUS CORONÉIS FAZIAM NO MINISTÉRIO DA SAÚDE?

O Exército continua em silêncio porque ainda deve estar tentando entender a aparição de nomes de oficiais em notícias e delações com suspeitas e indícios de participação de militares nos rolos do governo Bolsonaro, quase sempre associados à corrupção na compra das vacinas. Mas talvez os altos comandos devessem prestar atenção também nos oficiais que,

FINALMENTE, UM GENERAL É INTERROGADO POR CIVIS

Bolsonaro conseguiu o que a Comissão da Verdade tentou desde 2014, quando da conclusão do seu relatório sobre os crimes da ditadura. Bolsonaro ofereceu um general aos interrogadores civis da CPI do Genocídio. A Comissão da Verdade pediu a responsabilização civil e criminal de 377 autoridades apontadas por envolvimento em todo tipo de violência, das