Um fracasso

A cobertura dos grandes jornais do assassinato do miliciano na Bahia é precária. Não é preguiça, nem falta de gente. Os jornais têm medo de Bolsonaro e de Sergio Moro.
Em outros tempos, as melhores equipes dos jornais estariam acampadas no entorno do cenário da execução.
Hoje, fazem cobertura de campo de dentro das redações. É o jornalismo de tubo, que vai acabar matando o próprio jornalismo.
A tropa que matou Adriano da Nóbrega pode ter contribuído para que também o jornalismo morra mais um pouco.Mas ainda tenho esperança no grande esforço da Folha, mesmo temendo Bolsonaro e Moro, para dizer que enfrenta os dois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 9 =