Vão investigar se os golpistas tentaram um golpe

Começo de um texto da Folha online para envergonhar estudantes da 5ª Série:

“Para Arthur Maia (União-BA), provável presidente da CPMI de 8 de janeiro, o ponto central do colegiado deverá ser esclarecer se os ataques aos três poderes foram, de fato, uma tentativa de golpe”.

Como de fato? É uma bobagem, como se ainda houvesse dúvida sobre a tentativa de golpe, depois da prisão de mais de 1.400 terroristas, do indiciamento da metade deles até agora e do vazamento das conversas registradas no celular do coronel Mauro Cid sobre o plano golpista.

O correto, sem muita invenção seria assim:

“O ponto central da CPI deve ser a identificação, o enquadramento e o pedido de indiciamento dos líderes do golpe, e não só dos manés”.

Pela proposta de leitura da Folha e do deputado, seria mais ou menos como se alguém dissesse, no começo da CPI da Covid, que a comissão iria investigar se houve ação deliberada do governo para que a pandemia provocasse a tal imunidade de rebanho, enquanto Bolsonaro fazia propaganda da cloroquina e combatia a vacinação.

O que CPI fez, a partir da certeza de que tudo era planejado para que o contágio fosse disseminado, foi identificar os criminosos, enquadrados em cada crime, e enviar seus nomes ao Ministério Público.

Estão no relatório os 79 responsáveis pela matança da pandemia e pelos crimes que a Covid propiciou.

Até agora, não há um indiciado, um só.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


8 + 9 =