A DINHEIRAMA DOS LAVAJATISTAS

É mais uma bomba no colo de Sergio Moro a reportagem de Monica Bergamo, na Folha, sobre a fábrica de diárias e passagens dos procuradores do grupo de Deltan Dallagnol em Curitiba.

São mais de R$ 2,5 milhões que eles devem devolver aos cofres públicos, por ordem do TCU.

Vão dizer que a turma era do Ministério Público. Claro que era, mas Dallagnol tralhava sob as ordens de Sergio Moro, que agia como juiz e como acusador, como mostram as conversas reveladas pela VaJato.
Confiram a dinheirama dos lavajatistas:

Monica Bergamo

FOLHA DE S. PAULO

Aras envia ao TCU valores recebidos por procuradores na época da Lava Jato

Tribunal pediu a procuradores como Deltan Dallagnol e Rodrigo Janot a devolução de recursos públicos

A equipe do procurador-geral da República, Augusto Aras, já enviou ao Tribunal de Contas da União (TCU) novos dados sobre o pagamento de passagens e diárias a procuradores da Operação Lava Jato, abrindo dados da gestão de Rodrigo Janot, um de seus antecessores no cargo.

LAR
O tribunal investiga o fato de procuradores que trabalhavam em Curitiba (PR) receberem diárias como se morassem em outra cidade e trabalhassem na capital do Paraná apenas transitoriamente —quando, na verdade, se estabeleceram na cidade, [assando a maior parte do tempo trabalhando nela.

LAR 2
De acordo com as investigações, uma situação permanente, de moradia, era tratada como transitória, já que os procuradores não tinham sido oficialmente transferidos para Curitiba e por isso recebiam as diárias.

MODELO
O Ministério Público junto ao TCU concluiu que o modelo de funcionamento adotado pela força-tarefa não representou o menor custo possível para a sociedade brasileira. E disse que ele “resultou em interessante ‘rendimento extra’ em favor dos beneficiários, a par dos elevados valores das diárias percebidas”.
O TCU acatou os argumentos do MP e pediu a devolução do dinheiro.

LISTA
Entre os procuradores citados estão Antonio Carlos Welter, que recebeu R$ 506 mil em diárias e R$ 186 mil em passagens, Carlos Fernando dos Santos Lima, que recebeu R$ 361 mil em diárias e R$ 88 mil em passagens, Diogo Castor de Mattos, com R$ 387 mil em diárias, Januário Paludo, com R$ 391 mil em diárias e R$ 87 mil em passagens, e Orlando Martello Junior, que recebeu R$ 461 mil em diárias e R$ 90 mil em passagens.

SOLIDÁRIO
O ex-procurador Deltan Dallagnol aparece como idealizador do modelo e foi citado para devolver recursos solidariamente aos cofres públicos.

SOLIDÁRIO 2
O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, que comandava o Ministério Público Federal na época da Lava Jato, também será citado para devolver recursos solidariamente.

PERPLEXO
Procuradores que integraram a Operação Lava Jato em Curitiba se disseram perplexos com a determinação do TCU (Tribunal de Contas da União) de que sejam devolvidos recursos de diárias e viagens recebidos.

NOTA
No dia em que a coluna revelou a existência da investigação, eles reagiram: em nota enviada por meio da assessoria de Deltan Dallagnol, que coordenava a força-tarefa de Curitiba, os procuradores afirmaram que as diárias e as passagens aéreas foram autorizadas e que nunca foi apontada qualquer ilegalidade, fosse pela auditoria interna ou pelas autoridades administrativas do Ministério Público Federal (MPF).

NOTA 2
“A auditoria técnica do próprio TCU sugeriu o arquivamento da representação por entender, dentre outros motivos, que a representação ‘não preenche os requisitos de admissibilidade’ previsto no regimento interno do TCU, já que não acompanhada de indícios de irregularidades ou ilegalidades”, afirmaram na nota.

NOTA 3
“Diante da consistência das manifestações da área técnica do TCU, que analisou detidamente os fatos e recomendou o arquivamento do caso por ausência de irregularidades, causa perplexidade que se insista na continuidade do procedimento”, seguiram.

____________________________________________________________________

É RASO
Uma frase de autoajuda que se repete desde tempos bíblicos e expressa a quanto é rasa a reflexão da elite brasileira.
Está na capa do Estadão:

“Se o governo não atrapalhar, já está bom”, diz presidente do Mercado Livre

É uma bobagem, uma frase colegial, mas que vira manchete, como se expressasse grande sabedoria.

Essa gente elegeu Bolsonaro e não sabe o que fazer com ele, mas continua não aceitando Lula.

One thought on “A DINHEIRAMA DOS LAVAJATISTAS

  1. A chapa esquentou pra turma da lava-jato. Resta saber se As garantias recursais previstas em lei poderiam permitir a candidatura ao congresso do chefe da quadrilha de procuradores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


6 + 4 =