OS CADEIRANTES E OS GURIS QUE FALAVAM IÍDICHE

Esta foto é de outubro de 2010, um sábado, véspera do primeiro turno da eleição em que José Serra iria para o segundo turno e perderia para Dilma Rousseff. É de uma notícia do UOL sobre uma caminhada do candidato com cadeirantes na Avenida Paulista. A moça que sorri é a então vereadora Mara Gabrilli,

AS MUITAS FARSAS DE JOSÉ SERRA

José Serra, o zumbi tucano que a Lava-Jato decidiu finalmente pegar, para provar que ainda está viva, poderia ser uma inspiração para os estudantes brasileiros resignados desde o golpe de agosto de 2016. Poderia, se não tivesse construído uma trajetória torta, até corromper a própria filha, transformada em administradora das suas propinas. Serra foi a

O JORNALISTA DELATADO E O JUIZ AFASTADO

Luis Majul (foto à esquerda) é um dos grandes nomes do jornalismo de direita na Argentina. Na outra foto está o juiz Federico Villena, que já mandou prender 22 envolvidos em espionagem contra adversários políticos no governo de Mauricio Macri. Pois Majul é um dos apontados como destinatários de informações dos espiões. E o juiz

A ESPERTEZA DE SERGIO FERNANDO E DELTAN MARTINAZZO

A Lava-Jato bisbilhotou a vida de políticos com foro privilegiado. Quem quiser que acredite na explicação de Deltan Dallagnol de que os nomes de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre estão ao acaso em listas de suspeitos de receber dinheiro de empresas investigadas por lavagem de dinheiro. A Lava-Jato queria chegar às doações do grupo cervejeiro

O QUE A TURMA DE CURITIBA PODE ESTAR ESCONDENDO

A já famosa grampolândia da Lava-Jato levanta várias questões sobre os desmandos da turma de Deltan Dallagnol. Uma delas é uma pergunta a ser respondida logo: Sergio Moro, que chegava a orientar as ações do Ministério Público como se fosse chefe do grupo, sabia que os procuradores grampeavam todos os que conversavam com eles? Uma

A ARGENTINA PERDEU O MEDO DE ENQUADRAR SEUS GENERAIS

A democracia brasileira aprenderia muito com os argentinos, se prestasse atenção no que eles continuam fazendo para manter golpistas civis e militares sob controle. Eles não têm na Constituição nenhum artigo 142 que permita leituras enviesadas sobre golpismo. Não existe nada parecido com esse debate fajuto que consome os brasileiros sobre o presumido poder moderador

ENQUANTO DISCUTEM O CASO DO CACHORRO DE MICHELLE

Sim, Augusto, o pastor-maremano adotado e devolvido por Michelle Bolsonaro, é o assunto do momento. Enquanto isso, Mônica Bergamo publica essa informação na coluna dela na Folha hoje. Que advogado famoso se dispõe a ajudar na luta pela libertação desse moço, já que os sem-fama não conseguiram nada até agora? Eis a notícia: A ministra

MAIS UM FRACASSO DOS MILITARES

Poucos se lembram do programa Pró-Brasil, apresentado pelos generais e derrubado por Paulo Guedes e pelos empresários como algo anacrônico dentro de um projeto de radicalização do liberalismo entreguista. Na famosa reunião ministerial do dia 22 de abril, aquela da boiada do Salles, dos vagabundos do Weintraub e das hemorroidas de Bolsnaero, Guedes chamou de

A PREPOTÊNCIA DO GRÊMIO

O Grêmio decidiu treinar em Criciúma, porque não é permitido aglomerar jogadores em Porto Alegre. Se não pode treinar aqui, treina onde pode. Não sei se os atletas e as equipes técnicas e todo o suporte de pessoal vão de avião, ônibus ou helicóptero. Não interessa. O que importa é que o Grêmio vai fazer

DECOTELLI E OS R2 QUE METRALHARAM O CAIXEIRAL

Agora, tem mais essa. Carlos Alberto Decotelli também não é oficial da reserva da Marinha. Ele foi um R2, um oficial temporário, que cumpre seu período no serviço militar e sai sem patente, sem soldo e sem honrarias. Alegrete, com seus seis quarteis, recebia enxames de R2 na ditadura. Os tenentes provisórios, como se dizia,