SERGIO MORO NÃO PODE SER UM TRASTE IMPUNE

O show de Gilmar Mendes humilhando Kassio Nunes Marques e a revisão do voto de Cármen Lúcia resgatam esperanças que andavam meio extraviadas. Mas não encerram a prestação de contas da suspeição de Sergio Moro. Falta saber como ex-juiz pode ser enquadrado e responder a processos pelos crimes que cometeu. Como disse Mendes, sem essa

O NOVATO AMARELOU E FOI HUMILHADO POR GILMAR MENDES

Nunes Marques, o ministro de Bolsonaro no Supremo, amarelou e livrou a cara de Sergio Moro. O pedido de vista do processo, feito por ele no julgamento anterior, deu tempo para avaliação do poder de Lula. E Lula se mostrou poderoso. A direita não está preocupada com a suspeição de Moro, mas com o risco

NÃO PODEMOS PARAR DE FALAR DOS TORTURADORES

Bolsonaro voltou a debochar das torturas sofridas por Dilma Rousseff, e Gilmar Mendes o advertiu de que esse é um dos crimes imprescritíveis. Isso quer dizer o quê? Na Argentina e no Chile (e até no Uruguai, onde também houve anistia), pode querer dizer que os torturadores serão julgados e presos. No Brasil, Mendes sabe

AQUELES QUE A JUSTIÇA MANDA SOLTAR E OS OUTROS QUE NUNCA MANDA PRENDER

Esgotou-se o debate sobre a barbeiragem (será só isso?) que permitiu a soltura do traficante André do Rap. Os entendidos em hermenêutica tiveram uma semana para exibir conhecimentos sobre quem deve ou não ser solto, quando e por quê. Mas podemos retomar, com a mesma intensidade, outro debate sobre os bandidos que a Justiça nunca

É GENOCÍDIO MESMO?

Tivemos por um bom tempo o debate em torno da suspeita de que Bolsonaro seria líder de um governo fascista. Foi quando surgiram as ressalvas. Bolsonaro não seria um fascista clássico, de almanaque, porque não era nacionalista, não se caracterizava como líder de massas e por isso e por aquilo. Bolsonaro seria apenas um aprendiz

AS GUERRAS DE MENDES, DE MONICA IOZZI E DOS MILITARES

Gilmar Mendes acusa os militares de serem cúmplices do genocídio da pandemia. Mas ele já foi acusado de cúmplice de um criminoso e processou a acusadora. Era Monica Iozzi. Agora, os militares podem processá-lo com o mesmo pretexto que ele usou contra a atriz. Abaixo, o link do meu texto quinzenal no jornal Extra Classe.

GILMAR MENDES NÃO LARGA DO PÉ DELES

Mais dois recados de Gilmar Mendes aos militares, hoje à tarde no Twitter: A primeira postagem: “No aniversário do projeto que leva o nome de Rondon, grande brasileiro notabilizado pela defesa dos povos indígenas, registro meu absoluto respeito e admiração pelas Forças Armadas Brasileiras e a sua fidelidade aos princípios democráticos da Carta de 88”.

GILMAR MENDES APONTA OS CÚMPLICES DO GENOCÍDIO

A grande imprensa se acovardou e escondeu nos cantos dos sites a declaração de Gilmar Mendes sobre a cumplicidade dos militares com a matança da pandemia. O ministro passa a ser o autor da mais corajosa declaração feita por uma autoridade do Judiciário a respeito do conluio das Forças Armadas com os desatinos de Bolsonaro.

AS VOZES QUE FALAM BAIXO NO SUPREMO

Todos os ministros do Supremo, menos dois, já se manifestaram com veemência sobre a ameaça de golpe, com referências diretas aos blefes de Bolsonaro e dos generais. Na verdade, todos os ministros, menos duas. Depois de Luis Roberto Barroso e Edson Fachin, que se manifestaram com vigor essa semana, ainda falta ouvir Rosa Weber e

NÓS DEPENDEMOS DESTES TRÊS

Os três ministros mais destemidos do Supremo hoje, os que não se assustam com os blefes do bolsonarismo, foram indicados pela direita. Gilmar Mendes, Celso de Mello e Alexandre de Moraes. Podem dizer que são isso ou aquilo, que não são confiáveis, que são liberais. Podem repetir tudo o que parte da esquerda gosta de