AQUELES QUE A JUSTIÇA MANDA SOLTAR E OS OUTROS QUE NUNCA MANDA PRENDER

Esgotou-se o debate sobre a barbeiragem (será só isso?) que permitiu a soltura do traficante André do Rap. Os entendidos em hermenêutica tiveram uma semana para exibir conhecimentos sobre quem deve ou não ser solto, quando e por quê. Mas podemos retomar, com a mesma intensidade, outro debate sobre os bandidos que a Justiça nunca

É GENOCÍDIO MESMO?

Tivemos por um bom tempo o debate em torno da suspeita de que Bolsonaro seria líder de um governo fascista. Foi quando surgiram as ressalvas. Bolsonaro não seria um fascista clássico, de almanaque, porque não era nacionalista, não se caracterizava como líder de massas e por isso e por aquilo. Bolsonaro seria apenas um aprendiz

AS GUERRAS DE MENDES, DE MONICA IOZZI E DOS MILITARES

Gilmar Mendes acusa os militares de serem cúmplices do genocídio da pandemia. Mas ele já foi acusado de cúmplice de um criminoso e processou a acusadora. Era Monica Iozzi. Agora, os militares podem processá-lo com o mesmo pretexto que ele usou contra a atriz. Abaixo, o link do meu texto quinzenal no jornal Extra Classe.

GILMAR MENDES NÃO LARGA DO PÉ DELES

Mais dois recados de Gilmar Mendes aos militares, hoje à tarde no Twitter: A primeira postagem: “No aniversário do projeto que leva o nome de Rondon, grande brasileiro notabilizado pela defesa dos povos indígenas, registro meu absoluto respeito e admiração pelas Forças Armadas Brasileiras e a sua fidelidade aos princípios democráticos da Carta de 88”.

GILMAR MENDES APONTA OS CÚMPLICES DO GENOCÍDIO

A grande imprensa se acovardou e escondeu nos cantos dos sites a declaração de Gilmar Mendes sobre a cumplicidade dos militares com a matança da pandemia. O ministro passa a ser o autor da mais corajosa declaração feita por uma autoridade do Judiciário a respeito do conluio das Forças Armadas com os desatinos de Bolsonaro.

AS VOZES QUE FALAM BAIXO NO SUPREMO

Todos os ministros do Supremo, menos dois, já se manifestaram com veemência sobre a ameaça de golpe, com referências diretas aos blefes de Bolsonaro e dos generais. Na verdade, todos os ministros, menos duas. Depois de Luis Roberto Barroso e Edson Fachin, que se manifestaram com vigor essa semana, ainda falta ouvir Rosa Weber e

NÓS DEPENDEMOS DESTES TRÊS

Os três ministros mais destemidos do Supremo hoje, os que não se assustam com os blefes do bolsonarismo, foram indicados pela direita. Gilmar Mendes, Celso de Mello e Alexandre de Moraes. Podem dizer que são isso ou aquilo, que não são confiáveis, que são liberais. Podem repetir tudo o que parte da esquerda gosta de

DALLAGNOL PERDE R$ 2,5 BI E TENTA GANHAR R$ 59 MIL

O processo de Deltan Dallagnol por dano moral contra Gilmar Mendes não mira apenas no ministro do Supremo. O procurador vai amedrontar, indiretamente, todos os que apontaram seus atos suspeitos na Lava-Jato em conluio com Sergio Moro. Mendes foi o que pegou mais pesado, por se considerar devassado pelo Ministério Público, mas não foi o

SUPREMO EXPÕE CONLUIO DE DALLAGNOL COM ADVOGADO

O julgamento do processo da prisão em segunda instância pelo Supremo está expondo de novo as muitas suspeitas em torno de Deltan Dallagnol, principalmente seu envolvimento com o advogado da partilha das causas contra a Petrobras nos Estados Unidos. Numa jogada claramente ensaiada, Gilmar Mendes citou o caso da fundação que Dallagnol pretendia criar, e

MENDES DEBOCHA DE DALLAGNOL

Ironia de Gilmar Mendes agora há pouco, quando Dias Toffoli comentou que a própria força-tarefa comandada por Deltan Dallagnol pediu a progressão da prisão de Lula para o regime semiaberto. Mendes respondeu na hora? “Só o fez a partir da possibilidade do Tribunal decidir a questão da segunda instância. Foi uma benevolência compulsória”. Na verdade,