A ESPERTEZA DE SERGIO FERNANDO E DELTAN MARTINAZZO

A Lava-Jato bisbilhotou a vida de políticos com foro privilegiado. Quem quiser que acredite na explicação de Deltan Dallagnol de que os nomes de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre estão ao acaso em listas de suspeitos de receber dinheiro de empresas investigadas por lavagem de dinheiro. A Lava-Jato queria chegar às doações do grupo cervejeiro

O QUE A TURMA DE CURITIBA PODE ESTAR ESCONDENDO

A já famosa grampolândia da Lava-Jato levanta várias questões sobre os desmandos da turma de Deltan Dallagnol. Uma delas é uma pergunta a ser respondida logo: Sergio Moro, que chegava a orientar as ações do Ministério Público como se fosse chefe do grupo, sabia que os procuradores grampeavam todos os que conversavam com eles? Uma

A NOVA GUERRA DOS GRAMPOS DA LAVA-JATO

Sergio Moro e Deltan Dallagnol tinham uma relação de chefe e de subalterno na Lava-Jato. É o que aparece nas conversas divulgadas pelo Intercept no ano passado, mesmo que o juiz e o procurador não devessem ter comando e subordinação funcional. Dallagnol era obediente a Moro, a quem consultava e a quem se submetia. Essa

MORO PRECISA FALAR SOBRE A FUNDAÇÃO BILIONÁRIA DE DALLAGNOL

Fora do governo, Sergio Moro pode contribuir para muitos esclarecimentos sobre delitos que com certeza cometeu e outros que ainda estão encobertos por dúvidas e suspeitas. O ex-juiz deve finalmente ser convocado pelo Congresso para que conte o que sabe sobre a fundação que seria criada por Deltan Dallagnol com R$ 2,5 bilhões da Petrobras.

GUERRA À PANDEMIA GANHA DINHEIRO DESEJADO POR DALLAGNOL

Os planos de emergência contra a pandemia terão R$ 1,6 bilhão do chamado Fundo Petrobras. É decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo. Poucos prestaram atenção no fato de que o dinheiro é daquela reserva de R$ 2,6 bilhões com recursos da Petrobras, que originalmente Deltan Dallagnol pretendia destinar a uma fundação “para o

A ação secreta do FBI com Dallagnol

Mais um exemplo dos métodos do lavajatismo. A ação secreta de arapongas no Brasil. Dallagnol já teria abordado o assunto em suas palestras? O link para a reportagem da Agência Pública está logo abaixo, no leia mais. https://apublica.org/2020/03/como-a-lava-jato-escondeu-do-governo-federal-visita-do-fbi-e-procuradores-americanos/

Dallagnol anda abatido

O BNDES desperdiçou R$ 40 milhões para descobrir que não há caixa preta no banco. Com essa dinheirama paga à consultoria, Deltan Dallagnol poderia finalmente criar a sua fundação para combater a corrupção. Nenhum mecenas faz uma doação para a entidade dos sonhos do Dallagnol. O procurador ficou muito solitário sem Sergio Moro em Curitiba.

O QUE O HOMEM-MOSCA TEM QUE MAURO NAVES NÃO TINHA

Diogo Mainardi foi flagrado trocando mensagens como subalterno de Deltan Dallagnol na Lava-Jato. Mainardi, como mostram as mensagens vazadas hoje pelo intercept, comportava-se como empregado da turma de Curitiba. Pois o sujeito respondeu hoje mesmo às revelações do jornal, com essa frase à la Bolsonaro no Twitter: “Só agora a bandidagem descobriu que eu apoio

PEGARAM O HOMEM-MOSCA

O Intercept pegou Diogo Mainardi, o homem-mosca, que prestava serviços (agora comprovados) para a Lava-Jato. O homem-mosca não só orientava e era orientado por Deltan Dallagnol, como suspendia a publicação de informações contra amigos da Lava-Jato e poderosos. A troca de mensagens vazadas hoje só reafirma o que todo mundo sabia, que o homem-mosca trabalhava

Um lavajatista impune

Meu texto quinzenal no Extra Classe. O que aconteceria se alguém tentasse se apropriar de R$ 2,5 bilhões da Petrobras em nome do combate à corrupção? Com Deltan Dallagnol, um ano depois do escândalo, não aconteceu nada. https://www.extraclasse.org.br/opiniao/2020/01/um-lavajatista-impune/?fbclid=IwAR2IinB-aDD6WKrFeBCC0pzPP2RGH3cB932to6xeMnNRMgv7r8CzyMKn3_k