Um lavajatista impune

Meu texto quinzenal no Extra Classe. O que aconteceria se alguém tentasse se apropriar de R$ 2,5 bilhões da Petrobras em nome do combate à corrupção? Com Deltan Dallagnol, um ano depois do escândalo, não aconteceu nada. https://www.extraclasse.org.br/opiniao/2020/01/um-lavajatista-impune/?fbclid=IwAR2IinB-aDD6WKrFeBCC0pzPP2RGH3cB932to6xeMnNRMgv7r8CzyMKn3_k

O BOLSONARISMO ENGAMBELOU OS ESPECIALISTAS EM MEGALEILÃO

O melhor do megaleilão do pré-sal são as explicações de analistas e especialistas bolsonaristas e de gente do governo para o megafracasso. Já temos especialistas e altas autoridades de Brasília dizendo que o fracasso foi um sucesso. Daqui a pouco, o pacote de Paulo Guedes também vai fracassar, porque será desmontado pelo Congresso e sobrarão

DALLAGNOL AINDA PRECISA EXPLICAR O PLANO BILIONÁRIO

A decisão do ministro Alexandre de Moraes de homologar o acordo sobre o destino dos R$ 2,6 bilhões da Petrobras encerra uma parte do imbróglio, mas não toda a história. Pelo acordo, o dinheiro que Deltan Dallagnol queria para uma fundação irá para a educação e para a Amazônia. É uma boa decisão, mas ainda

MORO E A FUNDAÇÃO DE DALLAGNOL

O poder de Sergio Moro sobre Deltan Dallagnol era absoluto. As conversas vazadas que o Intercept vem publicando deixam o procurador na constrangedora condição de subalterno do ex-juiz. Não há dúvidas quanto à hierarquia dessa relação. Dallagnol cumpria ordens do magistrado poderoso. Moro orientava a produção de provas contra Lula. Dizia como deveriam fazer notas

O SILÊNCIO DE DALLAGNOL

Lula abordou ontem um tema constrangedor para o Ministério Público Federal e que até agora não tem uma explicação convincente, se é que isso será possível. É a tal fundação que Lula chamou de Criança Esperança de Deltan Dallagnol. Alguém está satisfeito com as explicações dadas pelo procurador para a ideia de criação de uma

A TEIA LAVA-JATO-BOLSONAROS-MILICIANOS

Toda a família Bolsonaro se manifesta a todo momento, menos um dos filhos. O pai e os garotos Eduardo e Carlucho não saem do Twitter. Mas Flávio, o amigo e patrão de Fabrício Queiroz, sumiu. O pai ainda tenta entender o que significa golden shower. Eduardo autoproclama-se todos os dias líder da direita latino-americana. Carlucho