Trump está escapando. Bolsonaro pode escapar?

Dois dias depois da performance desastrada de Biden no debate com Trump, no final de junho, a Suprema Corte americana anunciou que o republicano tinha imunidades quando ocupou a Casa Branca. Inclusive para cometer o que se configura não só como desmandos, mas como crimes graves. Na sequência, dois dias depois do atentado na Pensilvânia,

O atentado não existiria, se a Justiça não se acovardasse diante de Trump

Perguntem a um macaco amestrado da Pensilvânia, com todo o respeito pelos macacos, por que Trump é o facínora que vai virar herói. Façam a mesma pergunta sobre o que levou Bolsonaro a anunciar, logo depois do atentado, que irá à posse de Trump. O macaco vai dar a mesma resposta às duas perguntas: as

A cadeia é para os manés, mas talvez não seja para Bolsonaro

Brasileiros que acordam otimistas e vão dormir imersos em pesadelos do mais denso pessimismo têm uma dúvida que não se dissipa: e se, com todas as provas, em todas as frentes de investigação, Bolsonaro não for preso? É uma dúvida para insônias recorrentes, não se sabe até quando. Mesmo que venha a ser denunciado, processado

O fiasco dos generais com a sequência de golpes fracassados

Até o tenente Jair Messias Bolsonaro sabia que o golpe do general Juan José Zuñiga (foto) não daria certo. Pelos antecedentes de rebeliões militares recentes e porque a qualidade dos generais é precária, não só na Bolívia. O primeiro dado diferente e relevante, em relação ao golpe boliviano bem sucedido (por um ano) de 2019,

Os líderes do fascismo conseguiram conter as delações

É silenciosa, porque constrangida e abafada, a frustração com um detalhe das investigações em torno de Bolsonaro e de seus acumpliciados. Não há, como se esperava, um ritmo razoável de encadeamento de fatos novos que abalem as estruturas do fascismo. Frustram-se as expectativas dos que esperavam que uns iriam cair sobre os outros, em poucos

A tragédia que mata pode ajudar a salvar a extrema direita

Golpistas civis e militares, muambeiros de joias, vampiros de vacinas e cloroquina, milicianos analógicos e digitais, financiadores de gabinetes de ódios e fake news e todos os graúdos envolvidos em crimes associados à extrema direita. Acalmem-se e orientem-se com seus advogados. A catástrofe que mata os gaúchos e destrói o Estado poderá salvá-los. A tragédia

A pergunta de Silvinei Vasques a Bolsonaro: por que você não está preso?

Há uma frustração não revelada entre os envolvidos nas investigações do golpismo, das muambas das arábias, dos cartões das vacinas e de outras falcatruas. Falta o ressentimento capaz de expelir ódios, acusações e provas. Faltam os ressentimentos reservado e explícito, como esse agora manifestado por Silvinei Vasques, ex-diretor da Polícia Rodoviária Federal. Os advogados de

O novo esporte da extrema direita: atirar nos generais

Ficou escondida, quase camuflada no meio de textos sobre a aglomeração fracassada de Copacabana, a informação sobre a artilharia disparada por Silas Malafaia contra os generais da ativa. Malafaia sente-se com o poder de quem tem tropas civis para dizer o que disse. Que os comandantes militares que honram a farda devem renunciar aos postos

Malafaia atraiu Bolsonaro para um vexame em Copacabana

Até as baleias vistas de longe e citadas pelo deputado Gustavo Gayer sabiam que a aglomeração de Copacabana era de alto risco para o fascismo. E se confirmou o que muitos temiam. A aglomeração fracassou pelo que não conseguiu acrescentar à manifestação de 25 de fevereiro na Paulista. O ato pode ser considerado, pelo contexto

Malafaia é o Chevettão rebaixado e barulhento da extrema direita evangélica

Silas Malafaia descobriu, sem muito esforço, o que virou clichê na boca da extrema direita. A tal história da narrativa, que eles repetem para qualquer situação. Tudo é narrativa. Pois Malafaia tem uma narrativa e vem usando e abusando da sua descoberta, que pode ser usada de novo nesse domingo. Na aglomeração de Copacabana, pela