Bolsonaro está marcado como golpista

Bolsonaro está marcado como golpista

Dados de pesquisas recentes do Datafolha, que devem preocupar o bolsonarismo mais resistente à realidade.

Para 65%, o 8 de janeiro foi apenas vandalismo; só para 30% foi tentativa de golpe.

Para 55%, Bolsonaro quis dar um golpe; 39% discordam.

Um resumo elementar. Os brasileiros livram a cara dos manés, mas não livram a cara de Bolsonaro.

Os manés fizeram baderna em Brasília. Mas Bolsonaro tentou dar um golpe.

O detalhe interessante exposto pela pesquisa. Os pesquisados separam o 8 de janeiro das tentativas de golpe.

Pode ser uma confusão, porque reduz a invasão de Brasília a uma balbúrdia, quando foi parte do plano de Bolsonaro e dos militares, que abandonaram os manés.

Mas a conclusão a ser comemorada é esta: as pesquisas complicam o sujeito. Ele está marcado como golpista, mesmo que o 8 de janeiro não tenha sido, segundo os pesquisados, uma tentativa de golpe.

Outro dado que até surpreende é que, mesmo considerando os invasores de Brasília apenas participantes de um ato de vandalismo, 63% rejeitam a ideia de que eles possam ser favorecidos por uma anistia.

Um dos problemas dessas e de outras pesquisas do Datafolha, muitas vezes feitas para confundir e não para ajudar a entender, é que a Folha não publica as perguntas com as formulações apresentadas aos pesquisados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 8 =