BOLSONARO E SUA BASE IMUTÁVEL, MAS PRECÁRIA

A Folha deve publicar nos próximos dias mais uma pesquisa sobre a aprovação de Bolsonaro. O bom jornalismo diria que já era para ter publicado, para que pudesse medir o efeito da crise provocada pela demissão do alto comando militar. Mas a Folha e o Datafolha têm esse ar blasé de corporações que estão acima

O QUE ESPERA BOLSONARO

O Datafolha fez nove pesquisas sobre a aprovação de Bolsonaro, desde abril de 2019 e até a mais recente, que ouviu eleitores de 8 a 10 de dezembro. Depois de quatro meses de silêncio do Datafolha, Bolsonaro apareceu agora com aprovação de 37%. A pesquisa anterior havia sido feita em 12 de agosto, com os

ESTÁ PIORANDO

Para quem acha que pode melhorar, o Datafolha mostra que na verdade pode piorar. Aumentou para 22% dos entrevistados pelo instituto o índice dos que não pretendem se vacinar contra a Covid-19. A rejeição à vacina mais do que dobrou. Pesquisa nacional feita em agosto apontava que apenas 9% não pretendiam se vacinar, contra 89%

A RESIGNAÇÃO DA FOLHA COM A PESQUISA FRAUDULENTA

É frouxa a notícia da Folha sobre a pesquisa inventada divulgada ontem à noite em Porto Alegre inclusive pelo candidato da direita, Sebastião Melo, do MDB. Em nenhum momento a Folha informa que irá pedir investigações sobre o caso, para que sejam descobertas a origem e os caminhos da pesquisa fraudulenta que usa a marca

Bolsonaro

O QUE SERÁ DE BOLSONARO COM O FIM DO AUXÍLIO DE EMERGÊNCIA?

A questão inquietante para as esquerdas, enquanto se aproxima a primavera, não é se Bolsonaro vai ou não voltar a ser o que era antes da prisão de Queiroz e das advertências do Supremo para que cuidasse dos filhos e também parasse de brincar com a ameaça de golpe. O velho Bolsonaro do agora basta

BOLSONARO AINDA DOMINA UM TERÇO

Bolsonaro continua com o controle de um terço da população que acredita em tudo que ele faz e diz. Saiu finalmente a pesquisa do DataFolha sobre a reunião de 22 de abril. Para a maioria (61%) que assistiu ao vídeo da reunião, Bolsonaro interferia politicamente na Polícia Federal. Mas 32% acreditam na versão de Bolsonaro

É AGORA OU NUNCA

Vozes fortes da esquerda, e a do ex-governador e ex-ministro Tarso Genro é a mais potente delas, advertem que uma tentativa de se livrar de Bolsonaro agora poderia ser desastrosa. Se um gesto em direção ao impeachment não desse certo, por falta de lastro seguro no Congresso, Bolsonaro poderia sair fortalecido e se tornaria inatingível

E ELE SOBREVIVE

Os brasileiros não gostaram da saída de Luiz Henrique Mandetta, reprovada por 64% dos ouvidos pelo Datafolha. Isso quer dizer então que Bolsonaro ficou mal na parada? Não. A imagem de Bolsonaro melhorou, de 33% de ótimo e bom do levantamento feito de 1º a 3 de abril, para 36% agora. Os descontentes, que eram