Não entrem no jogo do fascismo contra a missão de Paulo Pimenta

Tem gente torcendo contra Paulo Pimenta como ministro de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul. Claro que tem. E não só da extrema direita. Tem gente das esquerdas defendendo que o lançamento do plano de socorro às vítimas da tragédia e das primeiras etapas do propgrama de reconstrução do Estado deveria ter sido

A arapuca que a direita gaúcha gostaria de armar para Lula

É romântica, altruísta e algumas vezes oportunista a conversa de que a tragédia que destrói o Rio Grande do Sul pode unir os diferentes na polarizada política brasileira. Mas que diferentes? O jornal Le Monde, com a desculpa do distanciamento francês, fomentou essa ideia entre as esquerdas e ganhou até manchete no Brasil. A direita

O que Lula pode fazer com os desencantos e ressentimentos da classe média

Se Lula acabar com a fome na última casa ainda sem comida, seus índices de aprovação não vão mudar muito. A aceitação do seu governo não depende das respostas aos programas sociais básicos para quem precisa comer. O problema é que a classe média bem alimentada decidiu que não aceita seu terceiro governo. A classe

Hoje, essa guerra é de Alexandre de Moraes, companheiro

Lula afastou-se de iniciativas que pudessem aproximá-lo de ações, falas e eventos relacionados ao 31 de março. Afastou-se e pediu que membros do governo também se afastem. Tanto que recomendou ao ministro de Direitos Humanos, Silvio Almeida, que cancele um ato em memória das vítimas da ditadura, no Museu da República. Prolonga-se e aprofunda-se a

O show de Silvio Costa Filho no Roda Viva

A velha direita tucana, que vinha votando em Bolsonaro, poderia começar a pensar numa alternativa, com a morte política do sujeito, fora do catálogo de figuras manjadas que andam por aí pra cima e pra baixo de braços dados com Silas Malafaia. Prestem atenção no moço cujo partido é ligado, não à Assembleia de Deus

Lula, a polarização, os militares e o covardão

Lula decidiu que também é tarefa dele, e não só de Paulo Pimenta, Gleisi Hoffmann, de outros líderes mais destemidos e da militância, a desqualificação de Bolsonaro como chefe fracassado do golpe. E fracassado por covardia. Na primeira vez em que se referiu ao chefe do golpe como covarde, dia 28 de fevereiro, em entrevista

Lula, cadê os neutros que estavam aqui?

Declaração de Lula, em entrevista a César Filho, no SBT (foto), quando foi questionado sobre a permanência do clima de guerra entre ele e Bolsonaro: “Essa polarização é boa, se a gente souber trabalhar os neutros, para que a gente possa construir maioria e governar o Brasil”. Lula disse não se preocupar com a polarização,

Esperavam um pedido de desculpa de Lula e levaram mais uma invertida

Os mandaletes de Netanyahu pediram tanto que Lula se retratasse do que disse na Etiópia, que conseguiram provocar uma reação do presidente. Finalmente, Lula deixou o silêncio e deu a resposta hoje, no lançamento de um programa da Petrobras. Leiam o que Lula disse, diante do pedido de retratação dos genocidas: “O que Israel faz