É difícil vencer até a tática para enganar manés

O estagiário de gestão pública da Câmara dos Deputados e o estagiário de direito penal do Supremo sabem de coisas que seus chefes não sabem ou fingem não querer saber. O estagiário da Câmara sabe que Lula se esforça para salvar o Rio Grande do Sul, mas não consegue ver essa dedicação percebida na sua

Os limites da Justiça para vencer o fascismo

Está sendo disseminada, inclusive pelos jornalões americanos, e não só pela extrema direita republicana, a tese segundo a qual Donald Trump condenado fica mais forte. Se for preso, fica imbatível. É a mesma teoria do medo que explica a impunidade de Bolsonaro no Brasil. E não só de Bolsonaro, mas de todos os que têm

Bolsonaro está marcado como golpista

Bolsonaro está marcado como golpista Dados de pesquisas recentes do Datafolha, que devem preocupar o bolsonarismo mais resistente à realidade. Para 65%, o 8 de janeiro foi apenas vandalismo; só para 30% foi tentativa de golpe. Para 55%, Bolsonaro quis dar um golpe; 39% discordam. Um resumo elementar. Os brasileiros livram a cara dos manés,

O silêncio dos militares diante do poder de destruição de Bolsonaro

A sabotagem à vacinação e a todas as formas de contenção da pandemia foi a mais criminosa, devastadora e cruel obra de destruição de Bolsonaro em quatro anos no poder. Há muitas outras. Mas a sua ação destrutiva é interminável também entre aliados e continua ativa. Mesmo com o destruidor fora do governo e às

Polícia Federal bate na porta do primeiro bilionário envolvido no 8 de janeiro

É gaúcho de Santa Rosa, na zona da soja, o primeiro bilionário identificado pela Polícia Federal como financiador e articulador da invasão de Brasília no 8 de janeiro. É Mario Luft, de 80 anos, dono do grupo Luft, uma das maiores empresas de logística do Brasil, atuando principalmente no armazenamento e transporte na área do

Sem apaziguamentos com os criminosos do 8 de janeiro

O ato em defesa da democracia no Congresso cumpriu o que prometeu, mas só estará completo se for inspirador de ações na área que ainda não completou o serviço para a reparação dos fatos do 8 de janeiro. É a área que, pela definição do ministro Alexandre de Moraes, menos deve confundir paz com apaziguamento

O dia de dizer que o núcleo do golpe não escapará

As instituições de defesa da democracia, em especial as do sistema de Justiça, poderiam oferecer aos brasileiros, nesse 8 de janeiro, um gesto de confiança e efetividade. Um aceno de afirmação das suas prerrogativas e deveres, em meio ao crescimento do sentimento de que os chefes do golpe podem ficar impunes. Sem espalhafatos, sem ações

Estadão faz o jogo do fascismo às vésperas do 8 de janeiro

O Estadão botou as unhas de fora na retomada da sabotagem ao inquérito das fake news. Renova-se a tentativa de desqualificar as investigações, para assim atacar a relatoria de Alexandre de Moraes. São unhas grandes, de mãos peludas, expostas às vésperas do aniversário do 8 de janeiro e do ato que acontecerá no Congresso, por

A velha direita foge do ato no 8 de janeiro por medo de contrariar o fascismo

É previsível a escolha feita por governadores que não participarão do ato do primeiro ano do 8 de janeiro em Brasília. Eles poderiam ficar ao lado dos líderes dos poderes invadidos pelos golpistas. Ficaram ao lado dos golpistas. Nenhuma surpresa. Não há nenhuma arapuca de Lula ao programar o evento pensando em expor os bolsonaristas