DELEGADO REPETE MOURÃO E DIZ QUE DOM PHILLIPS ESTAVA NO LUGAR ERRADO E COM A PESSOA ERRADA

Depois do general Hamilton Mourão, que se referiu ao jornalista Dom Phillips como um gaiato, o superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Eduardo Fontes, seguiu a mesma linha e disse o seguinte em entrevista hoje pela manhã à Rádio Gaúcha, de Porto Alegre: “O jornalista, ao que tudo indica, estava no lugar errado, na hora

CORRIJA-SE, GENERAL: DOM PHILLIPS FOI MORTO POR SER JORNALISTA, E NÃO COMO GAIATO

A definição como aventureiros, usada por Bolsonaro para tentar desqualificar Bruno Pereira e Dom Phillips, parecia insuperável como grosseria e crueldade. O general Hamilton Mourão conseguiu outra ainda mais cruel. Mourão disse que Dom Phillips foi assassinado porque “entrou de gaiato nessa história”. O sentido de gaiato aqui é o mais óbvio possível, usado como

A PARADA LGBTI VAI À GUERRA CONTRA O FASCISMO. E A MARCHA DA MACONHA?

Apesar da conversa fiada da neutralidade de alguns, a Parada do Orgulho LGBTI+ em São Paulo deixou claro que também é um ato antifascista e antibolsonarismo, o que no fim é a mesma coisa. A Parada defendeu maior representação de gays e trans no Congresso e na política em geral, com o slogan “Vote com

LEMBREM-SE DE DARCY PENTEADO

Sou testemunha ocular de uma parada gay, quando essas manifestações nem existiam no Brasil, porque ninguém se atrevia a ir pra rua. Nem no Rio. Pois em 1992, em Nova York, saí por acaso caminhando contra o vento com um grupo de jornalistas e fomos apresentados a uma parada gay. Num domingo de manhã, na

OS GENERAIS SILENCIOSOS SABEM O QUE TODOS QUEREM SABER

Generais sem quartel, sem tropas e sem poder político são, nas aparências, apenas soldados alijados de combates. Mas podem muitas vezes saber mais do que colegas ainda fardados e em prontidão para as guerras. O Brasil tem pelo menos quatro militares que sabem o que poderia acontecer se Bolsonaro decidisse transformar o blefe em golpe,

FOLHA DE S. PAULO: A ENTREVISTA DE BRUNO PEREIRA ANTES DA ÚLTIMA VIAGEM

Compartilho, em nome do interesse público, a íntegra do texto publicado hoje pela Folha com a que pode ter sido a última entrevista de Bruno Pereira antes de ser assassinado no Vale do Javari. Merece apoio a decisão de Rosiene Carvalho, autora da entrevista, de publicar as críticas de Bruno à Funai, mesmo que na

EXTRA CLASSE: POR QUE O CONGRESSO BARRA A PAUTA LGBT

Junho é o mês das manifestações LGBTI+, com marchas e atos por todo o Brasil. Pois os participantes desse eventos devem prestar atenção nessa reportagem de Douglas Glier Schutz, publicada pelo jornal Extra Classe, sobre a sabotagem no Congresso a qualquer avanço de pautas nessa área. E tudo isso acontece no país que mais mata

AS QUADRILHAS DE FAKE NEWS COMANDADAS POR MILITARES

Bolsonaro transformou militares em milicianos digitais que espalham fake news sobre a Amazônia. Grupos que mantinham perfis falsos no Face Book e foram desmantelados pela gestão da própria rede social, como mostra reportagem do DCM, que compartilho, com link logo abaixo: https://www.diariodocentrodomundo.com.br/militares-controlavam-perfis-falsos-que-espalhavam-mentiras-sobre-a-amazonia/

OS FRACASSOS DA GERAÇÃO DOS GENERAIS DE BOLSONARO

A elite militar que trabalha para Bolsonaro pode ter feito, pela avaliação de entendidos, boas gestões de quartéis e de planejamento tático e estratégico das suas atividades estritamente castrenses. Mas essa elite fracassou, e fracassou muito, quando se meteu em áreas que nem os marechais e generais e seus gênios civis da ditadura dominavam. Os