A tragédia, a universidade, o descaso e os falsos negacionistas

Compartilho participações em lives de segunda-feira e dessa terça no TV Brasil 247, na TV Brasil Progressista e na Radiocom. Minha participação no Giro das 11 do 247 está a partir do minuto 55:00, mas antes tem o Miro Borges. A conversa com a Radiocom (o link está abaixo dos vídeos) inicia no minuto 54:00.

Jorge Pontual é modelo de jornalista para Silas Malafaia

Que jornalista, depois de décadas na profissão, gostaria de ser citado por Silas Malafaia como caso exemplar de defensor da liberdade de expressão? Pois aconteceu ontem em Copacabana. Jorge Pontual, 75 anos, o homem da Globo em Nova York, foi consagrado pelo pastor como parceiro na defesa das liberdades. Pontual é um dos grandes reaças

A saudação a Caiado no Mercado Público

É provável que nenhum jornal noticie. Mas fica registrado aqui. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, que anda em peregrinação pelo Brasil como candidato ao espólio de Bolsonaro, almoçou nessa sexta-feira no Mercado Público de Porto Alegre. Ao sair, foi reconhecido por algumas pessoas e ouviu vaias e gritos de fora Bolsonaro, tira a boiada

Jornalismo covarde esconde a crise militar

Esse é o jornalismo covarde das corporações, quando se esperava, nas edições de domingo, alguma coisa exclusiva sobre o golpe tabajara e a crise nas Forças Armadas. A manchete do Globo é, acreditem, sobre a ‘revolução digital’ na indústria de bebidas e alimentos. A manchete da Folha volta com a choradeira do mercado financeiro, que

À espera do grande furo e da rapadura especial

Foi uma sexta-feira daquelas, com as novas revelações sobre o golpe, a partir de delações dos generais que afrontaram Bolsonaro e agora o denunciam como chefe do esquema. Mas a conclusão, ao final do dia, é essa: quase todos os jornais têm as mesmas informações, como se todos vendessem as mesmas rapaduras. Claro que hoje

O messiânico na capa da Piauí

Descobri esses dias que a banca de jornais e revistas do Cláudio, no Bomfim, não vende mais jornais. Nenhum. Nem Folha, nem Estadão, nem Globo, nem Zero Hora. Sobraram poucos compradores de jornais impressos. Cláudio só vende revistas e livros. E a revista mais vendida na banca do Cláudio, na Jacinto Gomes, perto do Pronto

Vossas excelências sabem que a mordaça do STF não punirá a empresa, mas o jornalista

Folha, Globo e Estadão entregariam tudo o que têm e ainda ficariam devendo, se fossem responsabilizadas na Justiça por todas as mentiras que publicam saídas da boca dos outros. Mas esse risco não existe, mesmo que o Supremo tenha decidido que também os órgãos de imprensa divulgadores de informações falsas e difamatórias, ditas por terceiros,