O espião

jouse

Acompanhei durante a semana a história de que Josué Guimarães teria sido um agente da KGB, quando se exilou em Portugal, nos anos 70.
A suspeita foi levantada por um jornalista português, que pesquisou o famoso arquivo Mitrokin, onde estão guardados segredos soviéticos do tempo da Guerra Fria.
Amigos de Josué já falaram sobre a notícia, duvidando da história, inclusive o Sergio Faraco. Nos anos 60, o Faraco foi enviado a Moscou para ser um comunista de verdade e passou por sofrimentos contados no magistral Lágrimas na Chuva, editado pela L&PM..
Pois no Alegrete sempre se dizia que, além do Faraco, existiam muitos outros perigosos comunistas. Os perigosos mesmos eram os que caçavam os comunistas (naquela época e ainda hoje).
Contavam que um dos suspeitos do Alegrete se chamava Instalen. O seu Instalen era um contador da cidade.
Me lembrei da história do seu Instalen e, curioso, fui pesquisar no telelistas quantos Stalins e Lenins há no Rio Grande do Sul.
Temos (pelo menos com telefone fixo) nove Lenins e apenas dois Stalins.
O que isso significa? Talvez, como diz o Tadeu Schmidt, hoje não signifique mais nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


9 + 3 =