A IDEIA DE TARSO

Tarso Genro escreveu esta semana no Twitter: “Ainda espero – e logo – acordar pela manhã e ler um manifesto assinado por Lula, Ciro, Dino, Marina, Haddad, Erundina, Juliano Medeiros, Boulos, Manuela, Freixo, Requião, nos chamando à unidade para vencer a pandemia e em defesa do Brasil, da Democracia e do Trabalho”. Tenho respeito pela

AÉCIO VIROU UM TRASTE

Abra qualquer site e está lá: a Polícia Federal pegou Aécio. Uma informação que o Brasil poderia aplaudir até meia década atrás e que chega agora, mas não provoca nenhuma reação. Em meio à pandemia e às loucuras de Bolsonaro, ninguém quer saber da notícia sobre o pagamento de R$ 65 milhões em propina da

UMA IDEIA PARA OS GOLPISTAS

Estão organizando em Porto Alegre manifestações para 31 de março, no Parcão, pelo aniversário do golpe. Eles seguem Bolsonaro e não temem contágios. Eu não me meto em festa da extrema direita. Mas gostaria de sugerir uma grande convenção no teatro da Fiergs, com a participação de Bolsonaro e do golpista Juan Guaidó. Um evento

OUTRA GUERRA PARA OS GENERAIS

Logo no começo do Roda Viva ontem à noite, Ciro Gomes foi provocado e falou sobre a possibilidade de golpe. Olhou direto para a câmera e mandou o recado: “Ó, Bolsonaro. Tu e os teus generais de pijama. Se metem que tu vai ver como nós vamos te encarar”. Mais adiante, Ciro ouviu outra pergunta

LARA RESENDE E OS FARSANTES DO LIBERALISMO BOLSONARISTA

Mais um liberal saiu da toca, depois de desfrutar por um bom tempo das expectativas criadas pelo golpe que ajudou a patrocinar pelo silêncio e pela omissão. Agora é André Lara Resende que vai a campo para dizer, em entrevista à Folha, que o liberalismo de Paulo Guedes é primitivo. No final de novembro, Demétrio

Os novos críticos de Paulo Guedes, o primitivo

André Lara Resende esculhamba com Paulo Guedes e o liberalismo arcaico do bolsonarismo (apoiado pela Fiesp), em entrevista à Folha. Um economista respeitado pela direita mostra como o bolsonarismo corrompeu até a ideia de liberalismo econômico com a sua capacidade de manipular as ignorâncias. Lara Resende até defende o Estado. Um trecho: “A política econômica

Bebianno morreu na data do assassinato de Marielle. É o imponderável?

É impossível prever, mesmo como brincadeira de bêbados, o que o mundo dos Bolsonaros – o pai, os filhos, os milicianos, os amigos e os ex-amigos – pode produzir de esdrúxulo ou assombroso nos próximos dias. O imponderável, no mundo dos Bolsonaros, não é apenas imponderável. Morrem mais ex-aliados no mundo dos Bolsonaros do que