BOLSONARO FOI A JOINVILLE EM BUSCA DA SUA TURMA

Bolsonaro não foi por acaso a Joinville para uma confraternização com empresários de uma cidade ultraconservadora, com moradores que não escondem seus vínculos com grupos supremacistas. Bolsonaro foi reforçar publicamente suas conexões com redutos com forte presença de simpatizantes do neonazismo. É a face que ele tem ressaltado nos gestos mais recentes, desde a aparição

O SILÊNCIO DOS JUDEUS ALIADOS DE BOLSONARO DIANTE DAS OFENSAS NEONAZISTAS

Judeus aliados ou simpatizantes de Bolsonaro deveriam pedir desculpas aos próprios judeus. Os judeus que são cortejados e acompanham os cortejos de pregadores de ideias neonazistas deveriam, há muito tempo, ter tornado público o arrependimento pelo engajamento à extrema direita neonazista brasileira. Mas esses judeus preferem ficar quietos. O incômodo causado aos judeus alinhados com