O inferno

Caminhei no fim da tarde no calçadão de Ipanema, de ponta a ponta. Uma constatação que só comprova o que já antecipavam os porto-alegrenses pessimistas: a lei que pune quem ouve música que possa ser ouvida fora dos carros é apenas mais uma lei.
A música de afugentar sabiás saía de dois carros, em pontos diferentes, para que toda a zona sul ouvisse (e a lei prevê punição, mesmo para som baixo).
Perto dali, duas viaturas da Brigada estavam estacionadas numa esquina próxima da estátua de Oxum.
Os policiais paravam motoqueiros e pediam documentos. Domingo à tarde continua sendo um inferno para moradores e para quem vai ao calçadão de Ipanema para curtir o rio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


4 + 5 =