VÃO RESISTIR?

Muitas universidades, comodamente silenciosas diante do avanço do fascismo, serão submetidas ao teste decisivo da democracia.
Terão de reagir às ações de repressão e censura às manifestações políticas, ou assumir a condição de subalternas obedientes dos prepostos do arbítrio e da extrema direita. Incluindo as que ainda não sofreram, mas podem sofrer a qualquer momento ações contra a liberdade de expressão.
Que as universidades ainda não atacadas se solidarizem com a instituições que já foram vítimas de invasões e se antecipem ao que pode acontecer em seus ambientes.
Quem preferir ficar à espera da investida da Polícia e de uma certa justiça seletiva estará nas mãos dos algozes da democracia.
Tudo o que o Brasil não precisa hoje é de uma universidade acovardada. Sem essa conversa de que ainda não foram atingidas pelos repressores. Todas serão.
Estudantes, professores, servidores, comunidades e pais de alunos devem exigir do comando das universidades que a resistência comece por suas lideranças com as prerrogativas e o dever da reação.
Ninguém espera demonstrações pessoais de valentia, mas sim a afirmação de coragem institucional. Vamos lá, ou entreguem os postos a quem se dispõe a resistir.