Folha escuta seus videntes

A Folha começa amanhã uma série de reportagens sobre o futuro do bolsonarismo.

Jornalistas da Folha, do Globo e do Estadão já decretaram o fim de Lula e do PT várias vezes.

O PT iria acabar depois da crise do chamado mensalão em 2005. Iria ser extinto depois do golpe contra Dilma, em 2016, e seria transformado em pó com o encarceramento de Lula em 2018.

A Folha é ruim de fazer previsões, ouvindo sempre os mesmos ‘especialistas’ e videntes.

O bolsonarismo é uma anomalia da política, criada pela democracia, e sua sobrevivência depende muito mais da população do que do próprio Bolsonaro.

Bolsonaro foi o hospedeiro das ideias, atitudes e ações de pelo menos um terço da população. O resto foi atrás e muitos não conseguem voltar.

Foi esse vasto contingente sem escrúpulos e disseminador de ódios e preconceitos que inventou Bolsonaro, e não o contrário.

O que a Folha precisa prever é se a população continua disposta a bancar Bolsonaro como seu guru acima de tudo e de todos.

O bolsonarismo é muito mais uma doença coletiva do que uma ideologia.

One thought on “Folha escuta seus videntes

  1. Fiz um comentário sobre isso no DCM que sumiu, simplesmente sumiu. Falei de uma entrevista de ²016 que o PH Amorim fez com o Jessé Souza, sobre uma pesquisa sociologica deste, em que foi apurado um percentual de aproximadamente 15 por cento da população brasileira que tem como único objetivo ver o circo pegar fogo. Então, talvez a coisa nao seja tão feia, concorda, Moisés?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


3 + 3 =