E agora, Raquel Dodge?

Perguntas que todos se fazem numa hora dessas. Raquel Dodge poderia ter dito ao jaburu, antes de assumir a Procuradoria-Geral, que não iria ao palácio das reuniões secretas naquela famosa noite de 8 de agosto?
E agora, na semana passada, a procuradora poderia ter esclarecido melhor a história de que Geddel, e não o jaburu, é o chefe do Quadrilhão do PMDB?
E Raquel poderia ter dito ao jaburu que não aceitaria a medalha do Mérito Aeronáutico? Alguns imaginam que ele poderia ter dito: assumi há pouco tempo e não mereço essa condecoração.
Poderia? Não poderia? Não havia o que fazer? O jaburu é mesmo poderoso a ponto a enredar uma procuradora em situações tão constrangedoras?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


1 + 3 =