PELÉ, BOLSONARO E O NEGRO ASSASSINADO

Se continuasse omisso em relação aos negros, Pelé apenas manteria a posição resignada que sempre teve. Pelé sempre se comportou mais como branco, como se não fosse um negro.

Mas, para que sua omissão desse um passo adiante, decidiu presentear Bolsonaro com uma camiseta do Santos. Foi um mimo pelo Dia da Consciência Negra.

Quis agradar um racista. Conseguiu produzir uma ofensa real e simbólica agravada pelo assassinato de um trabalhador negro, no Carrefour, em Porto Alegre.

João Alberto Silveira Freitas, 40 anos, foi morto a socos e pontapés por um policial militar e um segurança, na véspera do dia que Pelé deveria reverenciar como uma data de luta.

Pelé deveria ter ficado ao lado dos que se revoltam com a morte de João Alberto. Ficou com o líder branco que humilha os negros e contribui para uma violência sem fim.

Juca Kfouri resume o aconteceu: “Aos 80 anos, Edson Arantes do Nascimento mais uma vez traiu o Rei Pelé”.

O vídeo do crime está no link abaixo:

__________________________________________________________________

CHARGE

One thought on “PELÉ, BOLSONARO E O NEGRO ASSASSINADO

  1. Ao invés de dar orgulho, Pelé envergonha a raça negra. Que existência mais lastimável! Poderia ter tido enorme e histórica contribuição Social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


7 + 5 =